Convergência Digital - Home

Esperar para ver é a morte da transformação digital

Convergência Digital
Convergência Digital* - 04/10/2019

As constantes transformações digitais exigem que os executivos de alto escalão e que os CIOs (Chief Information Officers) reformulem as estratégias para que suas organizações sejam capazes de se adaptarem mais rapidamente às novas tecnologias para suportar novos modelos de negócios que as inovações tecnológicas permitem às operações.

“A abordagem de esperar para ver não funcionará mais”, diz Leigh McMullen, distinguished analyst e vice-presidente de vendas do Gartner. "Os negócios digitais atingirão as empresas em quatro ondas rápidas, forçando as organizações a aprenderem a surfar e se adaptar rapidamente as novas tecnologias que suportam os novos modelos de negócios".

Neste cenário, o Gartner avalia que as quatro ondas de interrupção são:

1. Mudança de foco: do custo para o crescimento - As organizações estão cada vez mais mudando suas estratégias da necessidade de cortar os custos para a busca de crescimento de receita e lucro. De acordo com a CEO's Survey 2019, do Gartner, a grande maioria dos CEOs (Chief Executive Officers) afirma que suas companhias desejam desenvolver tecnologia internamente para criar valor comercial, ao invés de terceirizar o trabalho de TI. "No modo de crescimento, a empresa deve se diferenciar, mas nos negócios digitais, ela deve usar a tecnologia para fazer isso", diz McMullen.

Recomendação do Gartner: Recomendamos que os líderes trabalhem no redesenho do modelo operacional das infraestruturas e ações de TI para dar suporte aos negócios digitais, transformar talentos, maneiras de trabalhar e outros elementos estabelecidos pela organização de TI.

2. Transformações digitais semeiam o caos em todos os mercados – O efeito disruptivo da transformação digital ainda não atingiu seu pico. As mudanças ainda atingem os mercados de maneiras diferentes - e em momentos diferentes. Por exemplo: indústrias fortemente regulamentadas, como as áreas de saúde e de bancos, continuam resistindo à digitalização total, enquanto a mídia de streaming reformulou completamente a indústria da música.

Recomendação Gartner: Os CIOs têm que buscar as opções para responder às futuras transformações digitais, mas devem fazer esta análise sempre avaliando as áreas de negócios que podem realmente se beneficiar de uma determinada tecnologia e, com isso, pensar em formas de criar novo valor para os clientes.

3. O modelo de negócios da plataforma fica perturbado - Hoje, uma plataforma digital suporta muitos negócios digitais, além das atividades da própria empresa e de seus parceiros que fazem parte de seu ecossistema. Isso significa que, geralmente, há mais poder de computação ocioso nas mesas dos funcionários e nos smartphones do que nos data centers ao redor do mundo.

Recomendação Gartner: Para dar suporte ao principal modelo de negócios da organização, os CIOs devem explorar uma arquitetura baseada em Nuvem com aplicações distribuídas, com ações que combinem Cloud e Edge Computing. As ofertas de Nuvem distribuída suportam a Internet das Coisas (IoT), mas também beneficiam os ambientes móveis e de desktop.

4. Inteligência artificial, IoT e Blockchain criam uma tempestade perfeita - A capacidade do Blockchain de suportar microtransações ponto a ponto - combinada com a capacidade de tomada de decisão inteligente da Inteligência Artificial (IA) e os poderes sensoriais da IoT - criará negócios nunca antes possíveis. Os aplicativos de Inteligência Artificial, incluindo chatbots e assistentes pessoais virtuais, já estão sendo amplamente adotados nas empresas, e as tecnologias Blockchain continuam amadurecendo rapidamente.

Recomendação Gartner: Educar os líderes empresariais sobre Inteligência Artificial, Internet das Coisas e Blockchain para que eles possam entender as implicações dessas tecnologias e reorientar o gerenciamento intermediário para o cultivo de talentos à sua volta.


Destaques
Destaques

Governo negocia para transformar Foz do Iguaçu em zona franca para datacenters

O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio de Menezes, conta que negocia a incorporação dos datacenters em uma classe especial para consumo de energia, ativo que mais encarece as operações no Brasil.

Disseminação de serviços em nuvem puxa investimentos globais em TI

Segundo projeções da consultoria Gartner, gastos devem bater em R$ 15 trilhões neste ano e crescer 3,7% em 2020, puxados por cloud computing. 



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site