GOVERNO » Compras Governamentais

Governo prepara megapregão de telefonia para 122 órgãos estimado em R$ 266 milhões

Luís Osvaldo Grossmann ... 07/07/2020 ... Convergência Digital

Avançou o pregão unificado de telefonia no governo federal. A grande procura pelos serviços fixo e móvel atraiu 122 órgãos públicos – num total de 440 unidades de compras – e tem valor estimado em R$ 266,57 milhões para contrato de 30 meses, podendo ser prorrogado até o dobro desse período. 

É uma das maiores contratações unificadas do governo federal – em 2018, a compra de telefonia chegou a reunir 466 unidades de compras. E como se trata de algo cuja demanda é crescente, especialmente em tempos de isolamento social, o termo de referência já prevê a possibilidade de aceitar o dobro de ‘caronas’. 

“Pode aumentar os volumes. Cada órgão participando fez uma estimativa, mas dada a nova realidade de trabalho, que já mudou e deve mudar daqui para a frente, talvez perceba que precise de um numero maior de linhas. É uma das justificativas para aumentar a permissão de adesão”, explica o secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert. 

A demanda indicada pelos 122 órgãos que vão aderir de partida inclui algo próximo a 12 milhões de minutos de telefonia fixa por mês e aproximadamente 23 mil celulares com planos de voz e dados – são 690 mil assinaturas mensais, divididas pelos 30 meses do contrato. Além disso, o edital prevê 159 mil assinaturas mensais de modems 4G e 103 mil tablets, devidamente conectados. O termo de referência pode ser conferido neste link.

No móvel, a previsão é por Pacotes de Serviços Empresarial (Tipo I e II) deverão ser fornecidos com ligações ilimitadas para qualquer telefone (fixo ou móvel de qualquer operadora) dentro do Brasil, com internet de no mínimo 20 GB (para Tipo I) e 10 GB (para Tipo II) de franquia para qualquer operadora do Brasil, envio de SMS (limitados a 2.000 por mês), roaming nacional ilimitado, acesso à caixa postal ilimitado.

Nas projeções da secretaria de Gestão, deve haver competição suficiente para derrubar um pouco o valor estimado, mas as sucessivas contratações conjuntas já vêm segurando os valores ao longo dos anos, aponta o secretário Cristiano Heckert. 

“Telefonia sem dúvida é uma licitação diferenciada. A primeira contratação conjunta que fizemos, ainda em 2008, foi de telefonia. E desde então temos aperfeiçoado o modelo, à luz de mudanças no mercado e do nosso próprio aprendizado. A cada nova licitação a gente usa como referência os preços dos contratos. Então nossa margem de redução vai diminuindo.”

O pregão tem dois lotes, um para os minutos fixos, outro para voz e dados móveis. “Teve uma mudança muito significativa no processo. Antes a gente tinha um conjunto grande de lotes, 11 lotes, 131 itens, a forma de contabilizar serviços era muito picotada, porque tinha tarifas diferentes entre operadoras e regiões. Isso tudo hoje caiu. As operadoras não trabalham mais com tarifa, mas com valor ilimitado de ligação para celular, fixo e longa distância”, aponta o coordenador geral de contratações de TICs, Sílvio Lima. 

Por conta do valor envolvido, além a consulta pública já realizada, haverá uma audiência pública, pelo YouTube, em 21/7, para discussão do termo de referência. Será das 10h às 11h30, no canal do Ministério da Economia. A expectativa da Secretaria de Gestão é que o edital seja logo publicado e o pregão realizado em agosto. Os interessados poderão enviar os questionamentos para o e-mail central.licitacao@planejamento.gov.br, até 17/7. 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Suspeita de fraude faz Caixa bloquear 1,3 milhão de CPFs no Auxílio Emergencial

Total de contas bloqueadas responde por cerca de 5% dos pedidos aprovados. Para reativar o benefício, o dono da conta bloqueada terá de ir pessoalmente a uma agência e provar a sua identidade.

ABES: Software cobra transparência do ministério da Economia

Para o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Software, Rodolfo Fücher, o veto à prorrogação da desoneração da folha chega em um momento onde a inadimplência aumenta e da falta de crédito.País caiu para 10º no ranking mundial de software.

Bolsonaro surpreende e veta prorrogação da desoneração da folha

Ao sancionar a Lei 14.020/20, presidente descartou manter o benefício até o fim de 2021 para 17 setores, inclusive TI e cal center. “Dispositivos acabam por acarretar renúncia de receita”, anotou na mensagem de veto.

Governo segue com privatização de Serpro, Dataprev e Telebras para 2021

O secretário de desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, disse que não há mudança de planos do governo Bolsonaro, mesmo com o papel desempenhado pelas estatais de TI na pandemia, e está mantido o plano de vender 12 estatais no ano que vem.

Projetos estratégicos de TIC dependem do ajuste fino entre os 'novos' MCTI e Minicom

No 'novo' MCTI, ficam políticas de inovação, entre elas,  Inteligência Artificial. O Minicom assume a política de Telecom e a radiodifusão.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G