Home - Convergência Digital

FCA e Sebrae lançam desafio de até R$ 100 mil para carro conectado

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 25/10/2019

O Programa Nexos lança, em parceria com a Fiat Chrysler Automóveis (FCA), o desafio “Como utilizar o carro como plataforma móvel para criar soluções”. A startup selecionada receberá até R$ 100 mil para alancar o projeto de pesquisa e desenvolvimento, além de mentorias especializadas. As inscrições podem ser realizadas até 17 de novembro pelo site http://sebrae.com.br/nexos. O Programa Nexos é fruto da parceria entre o Sebrae e a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).
 
Com o propósito de identificar oportunidades que vão além do carro, o desafio busca soluções a partir do entendimento do automóvel como uma plataforma móvel. “A indústria automotiva está no curso de uma revolução que permitirá ressignificar o carro como uma plataforma aberta de desenvolvimento, como já acontece com os dispositivos móveis”, explica Breno Kamei, diretor de Portfólio, Pesquisa e Inteligência Competitiva da FCA para América Latina.
 
Guiadas pelas oportunidades da conectividade, as startups interessadas poderão propor projetos para novos usos das tecnologias já existentes no automóvel, como central de multimídia e câmeras, ou que envolvam novos significados aos dados capturados pelos sensores do carro. Outra inspiração é o acesso às oportunidades que as cidades podem oferecem a partir de novos serviços e negócios. “A parceria com startups é uma forma de impulsionar inovações que vão ajudar as pessoas a resolverem suas atividades cotidianas de maneira fluída. O carro conectado é o ponto de partida de novas soluções que vão viabilizar relevantes transformações na jornada do consumidor”, completa Kamei.
 
A FCA é a primeira montadora a lançar desafio no Nexos. “O Programa possibilita a conexão de grandes e médias empresas com startups de todo país, contribuindo para a criação de um ambiente de negócios propício ao desenvolvimento de soluções tecnológicas e pequenas empresas inovadoras”, ressalta o diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick.
 
Para se inscrever, as empresas interessadas devem ser um pequeno negócio inovador formalizado (com CNPJ), legalmente estabelecido em território nacional, limitado ao faturamento anual máximo de R$4,8 milhões de reais e alinhado às áreas de interesse desta chamada. Os critérios de seleção são competência tecnológica para atender ao desafio; aderência às áreas de interesse do desafio; potencial de mercado; maturidade da solução.
 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

07/02/2020
Femtocells terão tratamento igual a dos roteadores Wi-Fi na Anatel

14/11/2019
Liberação da faixa de 700 MHz aumentou velocidade e tempo de uso do 4G

25/10/2019
FCA e Sebrae lançam desafio de até R$ 100 mil para carro conectado

23/09/2019
UIT: Mundo tem dificuldade para levar Internet aos 3,7 bilhões desconectados

14/08/2019
Melhor horário para navegar no 4G é às 4 da manhã na América Latina

23/07/2019
TIM e Vivo vão compartilhar redes 2G e 4G em 700 Mhz

29/03/2019
Um terço dos brasileiros desperdiça dados móveis

18/01/2019
Brasil alocou 609 MHz para banda larga móvel

06/09/2018
América Latina restringe espectro e fica longe da meta da UIT

22/08/2018
MCTIC, Anatel e operadoras fazem força-tarefa por mais antenas no Brasil

Destaques
Destaques

Bloqueio de celular pirata não impediu disparada de 344% no mercado cinza

Segundo dados da IDC Brasil, o resultado de 2019 indica que o aperto no bolso dos brasileiros foi maior que o da fiscalização. Entre os modelos mais baratos, no entanto, o mercado “paralelo” caiu. 

5G vai movimentar mais de R$ 5 trilhões até 2025

Segundo estimativas da GSMA, 80% desse valor será concentrado no investimento nas redes de nova geração. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site