GOVERNO » Legislação

Para Brasscom, fim da desoneração da folha elimina 383 mil empregos em TICs

Luís Osvaldo Grossmann ... 10/03/2020 ... Convergência Digital

A Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação - Brasscom -  divulgou nesta terça, 10/3, um estudo no qual defende que a atual proposta de reforma tributária – PEC 45/19 – precisa ser acompanhada da aprovação da Emenda 44, que inclui as CIDEs no rol de tributos unificados no novo IBS (Imposto sobre Bens e Serviços) e, especialmente, resgata o instituto da desoneração da folha de pagamentos. 

Nas contas da entidade, o fim da desoneração da folha teria efeito “devastador” no segmento de software e serviços. No lugar da projeção de que serão criados cerca de 299 mil empregos até 2024, a Brasscom aponta que esses novos postos vão desaparecer e ainda serão cortados milhares de postos de trabalho, com retorno à níveis de 2011. “Se a reoneração acontecer, a gente não só não vai crescer como vamos diminuir 84 mil empregos”, resume o presidente da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo. 

No relatório, a Brasscom ressalta que “para garantir o impacto positivo deste setor na economia brasileira é imprescindível garantir a manutenção da desoneração da folha, visto que a contratação de talentos altamente especializados é o principal insumo produtivo principalmente para a prestação de serviços no setor. A reoneração é letal para as TICs”.

Como aponta o estudo, a desoneração é importante mesmo para diferentes segmentos industriais, comumente apontados como mais beneficiados pela PEC 45/19, mas que na realidade sofrem impactos diferenciados. “Estamos aprofundando a análise para contribuir com o debate e colocarmos o Brasil  no eixo da produtividade”, afirma Gallindo. 

Paralelamente, a inclusão das Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) – que incluem fundos setoriais como FUST e Funttel, por exemplo – trazem um impacto positivo adicional, especialmente para o setor de  telecomunicações. 

“A introdução do IBS, nos termos da PEC no 45/2019, produz variações de preços, compelindo os subsetores de Software, Serviços de TIC e Hardware à majoração, e criando espaço para a redução no setor de Telecom. O subsetor mais afetado por pressão por aumento de preço e o de Serviços de TIC com 8,8%. A ‘Potencialização do IBS’ reduz em 45% a pressão por aumento de preço em Serviços de TIC para 4,8%”, indica o estudo. Em telecom, a combinação da desoneração da folha e a inclusão das CIDEs do IBS – a chamada ‘potencialização do IBS’ – representaria um ganho de R$ 38 bilhões. 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Coronavírus: Senado faz primeira votação a distância da história

Os senadores votaram de suas casas onde cumprem quarentena por causa do Covid-19 e aprovaram a decretação do estado de calamidade pública como forma de combate ao Covid-19.

Telebras projeta receita bruta de R$ 383,64 milhões em 2020

Na lista de venda do governo Bolsonaro, a estatal diz que o montante é uma mera previsão, uma vez que não há garantia de desempenho futuro. Em 2018, a receita líquida da Telebras ficou em R$ 199 milhões – foram R$ 73 milhões em 2017.

Relatora da nova lei das teles assume presidência da CCT no Senado

Daniella Ribeiro (PP-PB), que manteve sem alterações o projeto que se tornou a Lei 13.879/19, foi indicada pelo partido depois que o atual presidente da comissão, Vanderlan Cardoso, migrou para o PSD. "Depois do PLC 79, o que vier está fácil", disse a nova presidente. 5G está na pauta dos debates.

PGR: Há razão legal para STF julgar privatização de Serpro, Dataprev e Telebras

A Procuradoria Geral da República, em parecer dado para a ação do PDT contra a privatização das estatais de TI, admite que a inclusão delas no Plano Nacional de desestatização abre procedente para julgamento na Suprema Corte.

MPF: Governo não precisa de consentimento para cruzamento de dados

Em ação do Instituto Nacional Anísio Teixeira (INEP) contrária a entrega de dados pessoais individualizados de estudantes ao TCU, Ministério Público alega que administração não precisa de autorização dos titulares mesmo no caso de dados sensíveis. 



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G