Indústria e trabalhadores em telecom pressionam por mais antenas em São Paulo

Convergência Digital ... 25/02/2019 ... Convergência Digital

Entidades representantes trabalhadores, indústria, fornecedores de infraestrutura, instaladores de infraestrutura e empresas de telecomunicações entregaram à Prefeitura de São Paulo e à Câmara Municipal um manifesto pela retomada do licenciamento de antenas de celular na maior cidade do Brasil.

No documento, Abeprest, Abinee, Abrintel, Febratel, Fenattel, Feittinf, Feninfra e Telebrasil alertam para os prejuízos que a fata de licenciamento de antenas tem causado ao município e à população. O manifesto foi encaminhado ao prefeito Bruno Covas e ao presidente da Câmara Municipal, Eduardo Tuma.

As entidades querem reunião com o prefeito e o presidente da Câmara para a discussão do tema e entendem ser de extrema urgência a retomada do licenciamento no município, permitindo a expansão e a melhoria contínua da qualidade dos serviços e o desenvolvimento sustentável da cidade.

Há mais de dois anos sem emitir licença, em função da burocracia e de uma legislação antiga e desatualizada, a cidade de São Paulo sofre com problemas de cobertura, que poderiam ser resolvidos com a aprovação da nova lei. A proposta aguarda há mais de um ano para ser votada na Câmara Municipal e modifica uma lei de 2004, época em que nem existia banda larga móvel.

Sem as licenças, o município também perde investimentos de R$ 600 milhões, que já estão disponíveis para serem feitos pelas prestadoras, com a instalação de 1.200 novas antenas de celular e internet móvel, e a geração de 1.300 empregos diretos. Outros 700 pedidos de licenças já haviam sido apresentados anteriormente, sem deliberação pela prefeitura.

A falta de licenciamento, segundo as entidades, é obstáculo para a melhoria e a expansão da cobertura e prejudica toda a população da capital paulista. “Registra-se que atualmente as zonas periféricas encontram-se desassistidas em razão da falta dos citados licenciamentos. Sublinha-se, ainda, que existem pedidos de licenciamento aguardando liberação pela prefeitura há 5 anos”, sustentam as entidades.

Elas lembram que a crescente demanda por serviços de telecomunicações exige um permanente e imprescindível incremento das infraestruturas, sem as quais não é possível suprir a necessidade. No entanto, a legislação existente em São Paulo coloca o município como o segundo menos favorável à instalação de antenas dentre as 100 maiores cidades brasileiras.

Segundo o Ranking das Cidades Amigas da Internet, da consultoria Teleco, os maiores problemas envolvem burocracia, tratamento das instalações como edificações, exigência desnecessária de laudos, estudos e documentos, a necessidade de ‘Habite-se’ e prazo longo de licenciamento. Na periferia é ainda mais difícil cumprir as exigências, fazendo com essas áreas sejam as mais prejudicadas pois é praticamente impossível encontrar terrenos na periferia com as exigências atuais.


Internet Móvel 3G 4G
OpenRAN aberta: o xeque-mate do xadrez geopolítico do 5G

Fornecedores precisam  se comprometer mais com a compatibilidade com RAN aberta e os EUA precisam correr  para não perder de vez mercado para Ásia e Europa, advertiu o vice-presidente de estratégia de rede da Telus, Bernard Bureau.

Relator no Senado propõe desoneração de IoT e VSats sem mudar texto da Câmara

Relator do PL 6549/19 na CCT, senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO) sustenta que isenção de Fistel, Condecine e CFRP vai, na prática, aumentar a arrecadação . “Ganho líquido na arrecadação será de R$ 2,9 bilhões”, afirma. 

Empate suspende decisão do STF sobre desbloqueio de celular em 24 horas

Operadoras questionam no Supremo uma lei do Rio de Janeiro que determina o desbloqueio da linha 24 horas após quitação de dívida. Placar está em 5 a 5. 

Para Oi, assinatura básica teria que ser acima de R$ 100 para pagar concessão

Presidente da Oi, Rodrigo Abreu, diz que a pandemia foi ruim para o setor e que a busca pelo equilíbrio é fundamental. “O ‘break even’ seria mais caro que um pacote básico de banda larga."

Copel Telecom marca privatização para novembro e quer R$ 1,4 bilhão

Edital de venda do braço de telecomunicações da estatal paranaense de energia é previsto para 21/9. Empresa tem 34 mil km de fibras em 399 municípios. 

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G