INCLUSÃO DIGITAL

NEGER Telecom lança sistema de alerta para barragens e áreas de risco

Convergência Digital* ... 15/10/2019 ... Convergência Digital

Imagine um local remoto, sem telefone, sem celular, sem internet e, ainda por cima, sem energia elétrica. É em um ambiente assim que a comunicação pode ser essencial para a vida de milhares de pessoas que moram ou trabalham nas chamadas zonas de autosalvamento de barragens. Essa é a missão do SAFAR (Sistema de Alerta Fixo em Área Remota), desenvolvido pela NEGER Telecom para ser integrado aos procedimentos emergenciais de hidrelétricas e mineradoras, na iminência do rompimento de barragens. O sistema emite alertas sonoros e luminosos de alta intensidade para que a população possa abandonar áreas de risco.

"O SAFAR opera de forma totalmente autônoma, com energia solar fotovoltaica e comunicação de dados através de enlaces redundantes via satélite. Seu sistema de comunicação é de alta confiabilidade, pois trabalha com baixo consumo de energia e algoritmos complexos que possibilitam a transmissão dos sinais em condições ambientais severas. Essas características garantem que o acionamento do alerta seja efetivo em qualquer situação", explica o diretor de Engenharia da empresa, Eduardo Neger.

O sistema, testado com sucesso em uma hidrelétrica paulista no ano passado, já está operando comercialmente em usinas hidrelétricas de Minas Gerais. Este ano, o SAFAR recebeu o Prêmio Anuário Tele.Síntese de Inovação em Comunicações, ficando em segundo lugar na categoria "Fornecedores de Softwares e Serviços", por trazer uma inovação que ajudará a evitar tragédias como a de Brumadinho (MG). Em sua oitava edição, a premiação é feita em seis categorias e o critério de classificação do produto ou serviço leva em conta diversos fatores, entre eles o impacto da inovação no mercado brasileiro.

Segurança nos detalhes

Cada estação remota do SAFAR é equipada com dois transmissores satelitais de alta confiabilidade; conjunto de baterias, painel solar e controlador; sirenes e luzes. O acionamento dos alertas, sempre feito pela central de monitoramento da barragem, pode ser operado de forma convencional, por botão, ou à distância, pela internet ou app, de qualquer lugar do mundo.

Por serem autônomas, as estações operam de forma independe umas das outras. Podem ser instaladas em regiões remotas, pois não necessitam de energia elétrica, telefone ou internet para funcionar. "Além disso, o conjunto de baterias é capaz de manter uma estação funcionando por até cinco meses", conta Neger. "Isso inclui horas de alertas sonoros contínuos, cujo nível de som chega a 85 dB nas bordas das áreas de autossalvamento, e sinais luminosos com padrão de balizamento aeronáutico que podem ser vistos em até 1 km de distância", acrescenta.

Os equipamentos do sistema ficam instalados no topo de cada estação, distantes até 15 metros do solo, para garantir que não sejam engolfados pela água ou lama da barragem rompida. O sistema possui ainda sensores que informam sobre qualquer anormalidade nos equipamentos, o que possibilita uma manutenção preventiva. O SAFAR observa ainda as normas da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM).


Audima cria ferramenta para levar conteúdo aos analfabetos digitais

A partir da própria dor, uma vez que tem dislexia, Paula Pedrosa criou a Audima, uma startup que transforma palavras em áudios. "O império da visão exclui muita gente. Nosso desafio, hoje, é mostrar que inclusão monetiza", observa a executiva.

Domicílios com Internet chegam a 67% no Brasil, mas desigualdade permanece

TIC Domicílios 2018, do CGI.br, revela que as classes D e E elegeram o smartphone como o meio preferencial de acesso.

Nas favelas, há jovens ávidos para aprender e trabalhar com TICs

O projeto Vai na Web já formou 200 jovens em linguagem de programação, mas, agora,busca recursos para ensinar as profissões do futuro como Inteligência artificial e internet das coisas.

Anatel aprova consulta para aumentar potência do Wi-Fi

Além de permitir o uso de equipamentos WiFi na faixa de 60 Ghz, para o WiGig, que promete conexões de até 7 Gbps, agência prevê aumentar a potência atual dos aparelhos na faixa de 5 GHz.  

Anatel quer saber se há interesse em investir em satélites no Brasil

Consulta pública sobre o tema recebe contribuições até 7 de setembro. Ideia é saber se há empresas que queiram prover serviço ininterrupto de capacidade satelital por cinco anos a partir de 1 de janeiro de 2021.

Sem rede e velocidade de conexão, escola rural padece para acessar à Internet

Apenas 34% das escolas possuem ao menos um computador com acesso à internet e a velocidade de conexão é baixa para permitir uso pedagógico, na faixa de 2 Mbps, revela a pesquisa TIC Educação 2018, do CGI.br.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G