Home - Convergência Digital

Solidariedade vai ao STF contra MP que mudou direitos trabalhistas

Convergência Digital - 19/11/2019

As inovações contempladas pela Medida Provisória 905 conflitam diretamente com dispositivos da Constituição Federal. Com este argumento, o Solidariedade protocolou, nesta terça-feira (19/11), no Supremo Tribunal Federal uma ação contra a Medida Provisória 905/2019, a MP do governo federal que cria o "Contrato de Trabalho Verde e Amarelo" e também altera inúmeros pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Segundo a legenda, há direta colisão entre as garantias mínimas dos trabalhadores estabelecidas pelo artigo 7º da Constituição Federal e parágrafo único do artigo 4º da MP 905, que cria, sem autorização constitucional, nova classe de trabalhadores classe de trabalhadores.

"A Constituição contempla modalidades contratuais aplicáveis à duas classes de trabalhadores: os domésticos e os demais. Por certo, a Constituição Federal não autoriza um regime de contrato de trabalho especial, extraordinário e cujos critérios sejam livremente estabelecidos pelo legislador infraconstitucional", disse.

Para o partido, nenhuma lei, e muito menos uma Medida Provisória, poderá dispor condições contratuais inferiores ao previsto no artigo 7º da Constituição Federal, sob pena de violá-la. "Portanto, apesar do artigo 4º da MP 905 afirmar que as condições mínimas previstas na Constituição Federal devem ser observadas, a verdade, é que os dispositivos que se seguem violam frontalmente a norma constitucional", afirmou.

O partido citou ainda o recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de serviço é garantia constitucional aos trabalhadores e sua forma e percentual estão regulados pela Lei 8.036/90.  "Não é possível, notadamente por intermédio de Medida Provisória, reduzir o percentual correspondente ao FGTS de 8% para 2%, caracterizando-se, novamente, violação à Constituição Federal", explicou.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

04/06/2020
Para PGR, acordo individual para jornada de 12h por 36h é inconstitucional

10/12/2019
TST: Justiça do Trabalho não pode impedir greve de acontecer

06/12/2019
Justiça obriga app Loggi reconhecer vínculo trabalhista de 15 mil motoboys

02/12/2019
Derrota em ação trabalhista custa R$ 45 mil a ex empregado

29/11/2019
PGR defende validade de negociação que reduz direitos trabalhistas

26/11/2019
PDT recorre ao STF para suspender MP que revogou direitos trabalhistas

19/11/2019
Solidariedade vai ao STF contra MP que mudou direitos trabalhistas

15/10/2019
Governo Bolsonaro regulamenta o trabalho temporário

30/09/2019
STF desobriga empresas de TI de São Paulo do desconto da contribuição sindical

14/08/2019
Texto-base da MP da Liberdade Econômica muda relação trabalhista

Desafio nacional: identificar os dados efetivamente valiosos ao negócio

Pesquisa da IDC mostra que quase a metade companhias pesquisadas no Brasil admitiu ter dificuldade para encontrar talentos e recursos responsáveis pelas análises das informações.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Futuro sem aposentadoria – qual a saída?

Por luis Macedo*

O futuro financeiro nunca foi tão incerto. A aposentadoria "oficial", pelo INSS, fica cada vez mais distante para muitas pessoas, especialmente porque o mundo do trabalho mudou. Uma alternativa para uma parcela significativa da população que não tem carteira assinada são os fundos de previdência. O problema, no entanto, é a infinidade de fundos que existem.

Destaques
Destaques

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Teletrabalho: sem regulamentação, sem direitos, sem deveres, sem regras

Depois da nota técnica do MPT alertando para o direito à desconexão, Congresso tenta acelerar a votação dos PLs que tratam do tema, entre eles o PL 3915/20. O tema é complexo. IN 65, do governo federal, repassa os custos com tecnologia para os servidores no home office.

Ministério Público: Teletrabalho exige direito à desconexão

Ministério Público do Trabalho elaborou uma nota técnica direcionada para as “empresas, sindicatos e órgãos da administração pública”.  Na orientação, sugere a adoção de etiqueta digital para orientação de patrões e empregados.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site