Convergência Digital - Home

Consumo alto de energia desafia o futuro dos data centers

Convergência Digital
Convergência Digital* - 20/02/2020

De 2010 a 2019, o setor de data center passou por uma evolução marcada pela migração das salas de equipamentos de Tecnologia da Informação para o data center virtualizado, na nuvem, mas ainda enfrentam desafios reais como o alto consumo de energia, afirma o gerente de produtos de data center da Huawei Brasil, Marco Antunes.

Segundo ele, hoje, os data centers precisam integrar Inteligência Artificial com Machine Learning para ampliar a eficiência e capacidade de processamento das soluções. A fabricante chinesa fez um relatório onde aponta as 10 principais tendências para data center até 2025.

1) Alta Densidade: à medida que a demanda por aplicativos de inteligência artificial aumenta, é necessário equilibrar eficiência e custos. Para isso, os data centers se desenvolverão em direção à alta densidade. Atualmente, a capacidade média de energia em um data center é de 6 a 8 kW/rack. Prevê-se a predominância de uma a capacidade média de energia de 15 a 20 kW/rack até 2025.

2) Arquitetura Escalável: geralmente, o ciclo de vida dos dispositivos de TI é de três a cinco anos, sendo que a densidade de energia dobra a cada cinco anos. No entanto, o ciclo de vida da infraestrutura do data center é de 10 a 15 anos, o que exige expansão escalável e investimento dividido em fases, para atingir a sua rentabilidade ideal. Além disso, o data center deve oferecer suporte à implantação híbrida de dispositivos de TI com diferentes densidades de energia, devido aos variados serviços de TI em execução no local.

3) Verde: atualmente, o consumo de energia dos data centers representa 3% do consumo total de energia do mundo. Estima-se que este consumo chegue a mais de 1.000TWh até 2025. Por isso, construir data centers ecológicos é inevitável, de modo a proporcionar economia de recursos (como energia, água e materiais) durante todo o seu ciclo de vida.

4) Implantação rápida: com o crescimento dos serviços de Internet em um curto período de tempo, as demandas de serviços para armazenamento e tráfego de dados também aumentam bastante. Neste cenário, o sistema do data center acaba sendo alterado de suporte para um sistema de produção, exigindo uma implantação mais rápida para que os benefícios também sejam conquistados mais rapidamente. O tempo de implantação médio é de nove a 12 meses, o que deve ser reduzido para menos de seis meses até 2025.

5) Digitalização completa e habilitação de Inteligência Artificial: devido ao aprimoramento contínuo das tecnologias de Internet das Coisas e Inteligência Artificial, o gerenciamento dos data centers deve migrar para o formato digitalizado, em termos de planejamento, construção, organização e métodos, além de otimização de recursos.
 
6) Modularização Completa: até 2025, mais data centers são construídos com design modular completo para resolver os problemas de construção lenta e de alto custo de investimento inicial, o que permitirá implantação rápida, expansão flexível da capacidade de armazenamento e alta eficiência energética.

7) Arquitetura simplificada da fonte de alimentação: o sistema de fornecimento e distribuição de energia de um data center tradicional é complexo e fragmentado, ocupando uma grande área. Uma arquitetura simplificada da fonte de alimentação reduzirá os tempos de conversão de energia e a distância da fonte de alimentação, além de melhorar a taxa de utilização de espaço e a eficiência energética do sistema.

8) Convergência de refrigeração líquida e refrigeração a ar: para se adaptar rapidamente a requisitos incertos de serviço de TI no futuro, a solução de refrigeração deve ser híbrida (compatível com o sistema de refrigeração a ar e sistema de refrigeração líquida) para que o consumo de energia do sistema de refrigeração seja bastante reduzido.

9) Ligação dinâmica entre bits e watts: reduzir a eficácia do uso de energia (PUE) não significa que o consumo geral de energia do data center seja ideal. O consumo de energia precisa ser avaliado e otimizado como um todo. Assim, bits e watts trabalharão de forma colaborativa para obter economia de energia e eficiência energética ideal de todo o sistema.

10) Confiabilidade: à medida que as instalações do data center se tornam mais inteligentes, as ameaças à segurança da rede também se multiplicam. Por esse motivo, o data center deve ter seis recursos: resiliência, segurança, privacidade, segurança, confiabilidade e disponibilidade (para evitar ataques de internautas mal intencionados e ameaças de rede).
 


LEIA TAMBÉM:
Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Taesa faz transformação digital baseada em dados

Concessionária de energia impulsionou a transformação digital por meio de uma estratégia de gestão da tecnologia baseada em dados e integração.

Fleury cria empresa baseada em ciência de dados e inteligência artificial

Saúde ID funcionará como um marketplace de serviços ligados à saúde e recebeu investimentos de R$ 50 milhões. O paciente terá todas suas informações de saúde integradas em uma única plataforma, que poderá oferecer às empresas e operadoras um serviço com algoritítimos preditivos.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site