GOVERNO » Legislação

Sem Medida Provisória, deputados articulam projeto sobre Lei de Informática

Luís Osvaldo Grossmann ... 14/08/2019 ... Convergência Digital

À espera de uma Medida Provisória com mudanças na Lei de Informática (8.248/91), mas que ainda carece de entendimento interno no governo, deputados e representantes da indústria articulam um projeto de lei que enderece o assunto. 

A iniciativa coincide com a criação da frente parlamentar mista para o desenvolvimento da indústria elétrica e eletrônica, formalizada nesta quarta, 14/8. “Queremos contribuir para o aperfeiçoamento das políticas públicas para TICs e responder aos desafios colocados pela Organização Mundial do Comércio”, admitiu o presidente da frente parlamentar, deputado Bilac Pinto (DEM-MG). 

A costura entre Congresso e setor produtivo visa especialmente pressionar o governo por uma resposta legal ao resultado da queixa que Japão e União Europeia apresentaram contra a política industrial de eletrônicos no Brasil. Alguns ajustes em processos produtivos básicos já foram feitos, cumprindo o primeiro prazo – junho – acertado com a OMC. Mas resta alterar a Lei. 

“Existe um texto em construção no governo, entre os ministérios da Economia e da Ciência e Tecnologia. Mas a informação que temos, como sempre, é da dificuldade que a Receita Federal impõe ao setor produtivo e é lá que está travada a Medida Provisória. Vamos conversar com o secretário Marcos Cintra e se verificarmos que a MP vai demorar, vamos imediatamente protocolar o PL”, afirmou o deputado e ex-ministro de Indústria e Comércio, Marcos Pereira (PRB-SP) à CDTV, do Convergência Digital.

Esse projeto de lei, a ser subscrito pelo próprio Pereira, Bilac Pinto, Vitor Lippi (PSDB-SP) e Daniel Freitas (PSL-SC), tende a trazer como texto base a minuta de medida provisória que vem sendo cozinhada entre as secretarias de inovação do MCTIC e de produtividade do ME. Mas que como apontou o deputado, ainda esbarra no Fisco. E como lembrado na solenidade de criação da frente parlamentar, o acordo com a OMC prevê que as mudanças na Lei de Informática estejam em vigor em 1o de janeiro de 2020. 

A proposta é calcada no uso de créditos tributários como incentivo à produção nacional. As divergências com parte da equipe econômica ainda estaria na amplitude do uso desses créditos – é que para fechar a conta que mantenha os incentivos em nível semelhante ao atual será necessário uso amplo desses mecanismo em todos os tributos federais. 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Salim Mattar e Paulo Uebel deixam o Ministério da Economia

Anúncio foi feito pelo próprio ministro Paulo Guedes. Segundo ele, José Salim Mattar está insatisfeito com o ritmo das desestatizações -em TIC, havia a previsão das vendas do Serpro, Dataprev, Telebras e CEITEC. Já Paulo Uebel, à frente da transformação digital do goveno não teria gostado de a reforma administrativa ser adiada para 2021. 

Serviços digitalizados evitaram 65 milhões de visitas a órgãos públicos

A conta é da Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, que considera atos inteiramente online anteriormente realizados somente com presença física do requerente. 

Suspeita de fraude faz Caixa bloquear 1,3 milhão de CPFs no Auxílio Emergencial

Total de contas bloqueadas responde por cerca de 5% dos pedidos aprovados. Para reativar o benefício, o dono da conta bloqueada terá de ir pessoalmente a uma agência e provar a sua identidade.

ABES: Software cobra transparência do ministério da Economia

Para o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Software, Rodolfo Fücher, o veto à prorrogação da desoneração da folha chega em um momento onde a inadimplência aumenta e da falta de crédito.País caiu para 10º no ranking mundial de software.

Bolsonaro surpreende e veta prorrogação da desoneração da folha

Ao sancionar a Lei 14.020/20, presidente descartou manter o benefício até o fim de 2021 para 17 setores, inclusive TI e cal center. “Dispositivos acabam por acarretar renúncia de receita”, anotou na mensagem de veto.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G