NEGÓCIOS

Justiça determina bloqueio de R$ 470 mil da Negociecoins, do Bitcoin Banco

Ana Paula Lobo* ... 01/07/2019 ... Convergência Digital

A Justiça do Distrito Federal determinou o bloqueio de aproximadamente R$ 470 mil da Negociecoins, uma empresa do grupo Bitcoin Banco, a pedido de um grupo de investidores que não conseguiu resgatar o valor investido. Para a juíza Joselia Lehner Freitas Fajardo, da  Vara Cível de Planaltina, a tutela antecipada é necessária pois "a ausência de informação e regulamentação da atividade expõem os autores ao risco de perderem integralmente o valor investido".

Por se tratar de um mercado novo ainda não regulamentado, e com pouca jurisprudência, a juíza aplicou ao caso o mesmo entendimento de casos em que há fraudes online em bancos comuns. "A jurisprudência já é majoritária no sentido de atribuir a responsabilidade objetiva às instituições bancárias por fraudes online, sendo suficiente a demonstração do nexo causal entre a falha no serviço e o dano. No caso das criptomoedas, por analogia, deve ser seguida a mesma esteira de raciocínio", disse.

A Juíza observa em sua sentença que é fato que que o mercado de tais moedas é novo, complexo e ainda não é regulamentado pelo Banco Central, nem pela Comissão de Valores Mobiliários. Também é certo, pontuou a Juíza, que justamente por isso, o investidor corre grande risco de desvalorização da criptomoeda ao escolher o investimento. A "moeda"não tem lastro (comprovação do real valor), nem regulação legal (existem atos infra-legais que regem amatéria), acrescentou. Os investidores foram representados pelos advogado Odasir Piacini Neto, do Piacini Advocacia.

No final de maio, o Grupo Bitcoin, controlador da Negociecoins, denunciou um esquema de fraude, em investigação pela polícia de Curitiba. O grupo Bitcoin Banco é um dos maiores investidores em criptomoedas do Brasil e foi às compras nos últimos dois anos para fortalecer sua atuação.

*Com informações do portal Conjur


Tecnologia da informação evita tombo maior do setor de serviços

Segundo o IBGE, apesar do desempenho ruim das telecomunicações, os serviços de TI exercem a principal contribuição positiva dos serviços no acumulado até agosto de 2019. 

Rio de Janeiro precisa deixar de exportar CPF e CNPJ

"O Rio é protagonista de geração de inteligência e, hoje, temos de nos desafiar para reter nossos talentos", afirma o coordenador do Rio Info 2019, Alberto Blois. A diversidade foi a 'cara' do evento em 2019.

Fusões e aquisições em TI remodelam o mercado interno

Pesquisa da KPMG mostra que, no primeiro semestre, aconteceram 61 operações de compra em TI no Brasil, sendo 39 domésticas, 18 aquisições por grupos estrangeiros e 4 empresas brasileiras comprando companhias estrangeiras.

BR Distribuidora: A TI não pode se esconder atrás dos processos para se defender

"A TI precisa entender que do jeito que era não funciona mais. Ela precisa se enxergar como parte integrante do negócio", diz o CIO da BR Distribuidora, Aspen Andersen.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G