Home - Convergência Digital

Técnicos são os que mais procuram especialização em Big Data

Convergência Digital - 26/07/2019

Big Data, Desenvolvimento Full Stack e Segurança Cibernética são os cursos mais buscados no Brasil, conforme levantamento feito pela IGTI, escola de pós-graduação com foco em tecnologia. Os cursos voltados para a Gestão de TI, Gestão de Processos de Negócios e Arquitetura de Software também estão entre os preferidos do setor de tecnologia e sistemas da informação.

No último ano, os curso de Big Data foram os mais procurado na plataforma, sendo que 77% dos que procuraram esses cursos são alunos de cargos técnicos e 23% de coordenadores e gerentes. Dos alunos formados nesta área, 45% possuem mais de 10 anos de experiência (sênior); 36% até nove anos (pleno) e 19% até três anos (recém-formados). A média salarial destes profissionais são de 41% até R$ 7 mil; 30% até R$ 12 mil; 17% até R$ 3 mil e 12% acima de R$ 12 mil.

"A área de Big Data recebe tanto alunos em início de carreira, como também alunos de nível pleno e seniores. Talvez por ser uma área relativamente nova e que deve estar recebendo profissionais mais experientes para reciclagem tecnológica" explica o CEO da instituição, Vinícius Bozzi. Segundo ele, o profissional da área de tecnologia tem oportunidades de trabalho em todos os setores da economia. "Além de poder atuar em diferentes segmentos, o especialista nesta área precisa estar disposto a aprender sempre e preparado para as constantes mudanças e exigências do mercado", acrescenta.

Nesta carreira, reporta o executivo, a atualização constante é essencial."É uma área muito dinâmica, estão sempre surgindo novas linguagens, novos frameworks e é preciso ficar antenado para ser capaz de desenvolver soluções para a maior gama de problemas", diz Bozzi Outgra área bastante procurada é o desenvolvimento full stack, onde os profissionais estão preparados para desenvolver, analisar e dar manutenção de projetos de tecnologia desde seu desenvolvimento até acompanhar seu funcionamento com o usuário final.

No cenário atual, em que as leis de proteção de dados ainda dão seus primeiros passos, a preocupação com segurança cibernética deixa de ser exclusividade de grandes empresas de tecnologia, mas passa a ser fundamental para todos os setores. Por isso, buscar as novidades nesta área tem se mostrado cada vez mais importante.

Os cursos de segurança cibernética habilitam o profissional a realizar análises de risco, implementar arquiteturas de rede com foco em segurança, estabelecer testes de segurança em software e conhecer ferramentas e tecnologias de gestão de identidade e acessos. "Conhecimento em aplicações e infraestrutura é um grande desafio para esse tipo de profissional. Também é importante ter empatia e buscar soluções de acordo com a necessidade de cada empresa." explica Bozzi.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

13/07/2020
Empresa nacional de big data cria banco de dados com fotos de foragidos da Justiça

23/06/2020
Metade das empresas no Brasil não confia na própria análise dos dados

01/06/2020
Empresa brasileira de big data e analytics recebe aporte de R$ 120 milhões

29/05/2020
Serpro e Economia criam ‘Mapa de Empresas’, com Big Data das Juntas Comerciais

28/04/2020
Apenas 4% das empresas usam big data nos negócios no Brasil

30/03/2020
Big data e IA para saúde fazem Semantix comprar a Tradimus

28/11/2019
Big data é o negócio da Serasa Experian

27/11/2019
Petrobras usa supercomputador Santos Dumont para testes em tempo real

12/09/2019
Zipp, supermercado 100% online, expande operação com análise de dados em tempo real

09/09/2019
Teles fazem prova de conceito com a FICO por tomada de decisão

ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Seis dicas para formar uma equipe de trabalho resiliente

or Craig Mackereth*

Formar uma equipe ou força de trabalho resiliente não é tarefa que se execute da noite para o dia. Tampouco é possível tornar uma equipe verdadeiramente resiliente se isso ainda não estiver integrado ao DNA da empresa.

Destaques
Destaques

TRT/SP rejeita cautelar das empresas de TI e cobra Convenção Coletiva 2020

O desembargador e vice-presidente judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 2 Região, Rafael Edson Pugliese Ribeiro, em despacho, alerta que a falta de renovação da Convenção Coletiva 'é a falência do diálogo'. Convergência Digital publica a íntegra da decisão.

Microsoft muda alto escalão da AL e fica à espera de Rodrigo Kede,em litígio com a IBM

O presidente para a AL da Microsoft, Cesar Cernuda, e a brasileira Paulo Bellizia, vice-presidente de Vendas, Marketing e Operações para a região, oficializaram a saída da empresa. A computação em nuvem é pano de fundo no embate entre as gigantes.

Gestor de Tecnologia foi repaginado pela Covid-19

Os responsáveis por compliance, por digitalização e por suppy chain foram reconhecidos e estão à frente das ações das empresas e passaram a ter acento nos comitês de liderança, afirma o consultor da Russell Reynolds Associates, Márcio Gadaleta.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site