Home - Convergência Digital

Inteligência emocional faz a diferença na escolha do profissional de TIC

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo - 01/04/2019

O jovem que quer trabalhar com TICs precisa, sim, ter a formação que o curso técnico e a graduação oferecem, mas é essencial que esses jovens desenvolvam a competência comportamental, sustenta a gerente de Recursos Humanos da Huawei Brasil, Amália Silva. Segundo ela, saber trabalhar em equipe é obrigatório.

"O conhecimento técnico permite entrar numa empresa, mas lidar com a inteligência emocional mantém o emprego, em especial, aqueles que estão no mundo da Tecnologia ", adverte a executiva, que participou no dia 29 de março, da apresentação dos seis finalistas brasileiros da Huawei ICT Competition. Esses alunos vão para a semifinal no México e, se passarem, vão para a final da disputa, em maio, na China.

Amália Silva admite que cabe às empresas buscarem as universidades. "Nós temos de dizer para as universidades o que queremos do profissional que está sendo lapidado. Temos de fazer muito mais para criar esse vínculo com as universidades", observa. Assistam a entrevista com a gerente de Recursos Humanos da Huawei Brasil, Amália Silva.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

13/06/2019
Banco Itaú monta estratégia para reter os melhores profissionais

13/06/2019
Thales Teixeira, da Harvard: disrupção digital vai muito além da tecnologia

13/06/2019
Salesforce: banco precisa destravar os dados para atender aos clientes

13/06/2019
Senai faz acordo com AWS para ensinar tecnologia a 2,5 milhões de alunos

12/06/2019
Aplicativo do Flamengo do BS2 já teve mais de 700 mil downloads

11/06/2019
NCR Brasil mira software com compra da Oki e arremata parte do Bradesco em fábrica

11/06/2019
Huawei: infraestrutura definida por software é a base da transformação digital nos bancos

11/06/2019
Bradesco: fintechs não são concorrentes no nosso negócio

11/06/2019
Unisys: LGPD exige interligação das agendas econômica e digital

10/06/2019
"Estamos comprometidos com o futuro do Brasil", diz CEO da Telefónica

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

Falta de mão de obra qualificada espanta investidores no Brasil

Mais de 50% dos jovens brasileiros podem ficar fora do mercado de trabalho por falta de qualificação e de habilidades digitais. A advertência foi feita por especialistas que debateram sobre educação e capacitação digital no Painel Telebrasil 2019.

Assespro é contra a regulamentação da profissão de TICs

Entidade das empresas de TI se posiciona contrária ao PLS 317/17. que passa a exigir diploma de profissões como Analista de Sistemas, desenvolvedor, engenheiro de sistemas, analistas de redes, administrador de banco de ados, suporte e profissões correlatas.

Mais de meio milhão de brasileiros trabalham com TICs

Raio-X do mercado de trabalho nos últimos 10 anos, feito pela Softex, mostra que o salário médio de R$ 6 mil.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site