Home - Convergência Digital

São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul lideram a busca por profissionais de TI

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 02/05/2019

O número de vagas de emprego para Tecnologia da Informação cresceu 300% no Brasil em fevereiro de 2019, em comparação com o mesmo mês do ano anterior. Em fevereiro de 2018, ocorreram 14,5 mil admissões contra 13,9 mil demissões, gerando um saldo positivo de emprego de 564 vagas. Em fevereiro desse ano, foram 16,9 mil admissões contra 14,6 mil demissões, resultando em 2,3 mil novas vagas de emprego.

Isso é o que mostrou um levantamento feito pela Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação do Paraná (Assespro – PR) em parceria com o Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que faz parte do projeto Insights Report: Panorama do Setor de Tecnologia da Informação e Comunicação 2019, que publica boletins mensais sobre o mercado de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) no Paraná e no Brasil.

O estudo levou em conta os seis principais estados brasileiros geradores de emprego no setor e que são responsáveis por 80% do pessoal de T. I.: Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Segundo o levantamento, São Paulo foi o estado que apresentou o maior número de novas vagas em 2019: foram 535. Em seguida está Santa Catarina com 307, depois o Rio Grande do Sul, com 293, seguido do Paraná, com 249, Minas Gerais, com 247, e, por último, Rio de Janeiro, apresentando 94 novas vagas.

Comparando os meses de fevereiro de 2018 e 2019, houve um aumento, no Brasil, de 17% nas admissões nesse ramo e de 5% nas demissões. Em relação à taxa de admissões, o Rio de Janeiro foi o estado que mais se destacou, com aumento de 54%. Seguido do Rio Grande do Sul, com 34%, Paraná, com 31%, Minas Gerais com 30%, Santa Catarina com 22% e São Paulo, que praticamente se manteve estável, com 1% de aumento apenas.

O Paraná, por sua vez, foi o estado que apresentou maior aumento na taxa de desligamentos, 28%. Seguido de Santa Catarina, 19%, Minas Gerais, 9%, Rio Grande do Sul, 8%, e Rio de Janeiro, 7%. São Paulo, no entanto, não apresentou crescimento na taxa de desligamento em fevereiro de 2019, já que a taxa ficou em 0% em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Na área de TI,  em fevereiro deste ano foram feitas 14,9 mil admissões, contra 13,1 mil demissões, gerando um saldo positivo de 1,7 mil novas vagas de emprego. São Paulo apresentou 666 novas vagas, sendo o estado que apresentou o maior número de vagas mais uma vez. Foram 6,9 mil admissões, contra 6,3 mil demissões. O segundo estado com maior número de vagas foi Minas Gerais, com 347, depois vem Santa Catarina, com 218, seguido do Rio Grande do Sul, com 165, Paraná com 67 e Rio de Janeiro com 43 novas vagas.

No período fevereiro/18 a fevereiro/19, houve um aumento no Brasil de 11% nas admissões e de 14% nas demissões em TI. O estado que apresentou a maior taxa de crescimento de admissão foi o Rio Grande do Sul, com 36%. Depois vem Minas Gerais, com 25%, São Paulo com 16% e Paraná com 14%. Santa Catarina e Rio de Janeiro, contudo, apresentaram taxas negativas de admissão: o primeiro com -16% e o segundo com -8%.

O estado do Rio de Janeiro também foi o que apresentou a maior taxa de desligamentos na área de T. I. com aumento de 19%. Em segundo lugar vem o Paraná, com 17% de aumento, depois Rio Grande do Sul, 16%, São Paulo, 15%, Minas Gerais, 11% e Santa Catarina com 5%.

Vagas abertas e não preenchidas

De acordo com o presidente da Assespro – PR, Adriano Krzyuy, apesar do grande número de vagas abertas, o mercado enfrenta dificuldades de encontrar mão de obra qualificada para os cargos. “A tecnologia evolui rapidamente e os cursos universitários e capacitações técnicas não têm acompanhado esta velocidade para que seus alunos atendam às exigências do mercado. É preciso que a qualificação esteja em sintonia com as demandas das empresas", afirma.

A análise divulgada revelou dados sobre a situação de empregos em duas vertentes: ramo de serviços e área de serviços. O ramo de TI engloba atividades como desenvolvimento de programas de computador sob encomenda; desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis ou não; consultoria em tecnologia da informação; suporte técnico, manutenção e outros serviços, tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet; e serviços relativos a portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet.

A área de TI, por sua vez, diz respeito aos cargos de diretores de serviço de informática; gerentes de tecnologia da informação; engenheiros em computação; especialistas em informática; analistas de sistemas ocupacionais; professores de matemática, estatística e informática do ensino superior; técnicos em programação; e técnicos em operação e monitoração de computadores.  

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/08/2019
A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

13/08/2019
RH da OLX define planos de cargos e salários como ultrapassados

12/08/2019
Programa Fábrica de Talentos capacita mais de 300 alunos

05/08/2019
Dizer não é saudável para o ambiente de trabalho

05/08/2019
Polo Industrial do Software abre inscrições para programa de trainees

02/08/2019
TI Rio debate plano de cargos e salários para TICs

01/08/2019
Curso de gestão pública é top 1 de ranking nacional dos cursos a distância

29/07/2019
Dell oferece 1000 vagas em cursos de tecnologia por ensino à distância no Brasil

18/07/2019
Empresas oferecem 63 bolsas de estudo em Tecnologia

12/07/2019
Profissional do futuro é atento e despreza a zona de conforto

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

TICs vão demandar 700 mil novos profissionais na Indústria em cinco anos

Dados são do Mapa do Trabalho Industrial, feito pelo SENAI, que indicam ainda a urgência na qualificação de 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais por conta da indústria 4.0. Um dos especialistas em alta é o condutor de processos robotizados, com um incremento de 22% no número de vagas.

Técnicos são os que mais procuram especialização em Big Data

Cursos voltados para desenvolvimento Full Stack e Segurança Cibernética também são bastante demandados. No caso do big data, dos alunos formados nesta área, 45% possuem mais de 10 anos de experiência (sênior); 36% até nove anos (pleno) e 19% até três anos (recém-formados).

Agile reescreve a carreira do desenvolvedor de software

Ao mudar a entrega dos serviços – quebrando a prática dos longos projetos –, a metodologia também exige novos profissionais.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site