TELECOM

5G e Internet das Coisas são prioridades para os países do BRICS

Luís Osvaldo Grossmann ... 14/08/2019 ... Convergência Digital

As experiências de cada país na implantação do 5G e as estratégias para incentivar o desenvolvimento da internet das coisas foram os temas dominantes nos dois dias de reuniões, em Brasília, dos ministros de comunicações do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, os BRICS. No melhor tom diplomático possível, o encontro terminou nesta quarta, 14/8, com promessas de “aprimorar a cooperação na economia digital”. 

“Foram dois dias intensos de discussões em quatro áreas, internet das coisas na agricultura, 5G, banda larga e transformação digital”, resumiu o ministro brasileiro Marcos Pontes, evidenciando um encontro pautado pelas telecomunicações – especialmente na sessão de B2B realizada na véspera e promovida pela indústria. 

“O que vimos e que foi muito importante aqui no Brasil foi esse espírito de engajar mais as empresas, algo que foi insulado em todos os BRICS, até porque as empresas são os principais veículos da economia digital. Como reguladores e autoridades precisamos ouvir o que os negócios tem a dizer, portanto espero repetirmos essa participação das empresas na reunião da Rússia”, afirmou o vice ministro russo de desenvolvimento digital e comunicações, Mikhail Mamonov. 

As empresas brasileiras gostaram de ouvir certas experiências dos parceiros, como uso do equivalente ao FUST na Índia para a expansão das redes de fibra óptica ao interior e especialmente a decisão da China de alocar sem custos às empresas as frequências para 5G, exigindo cobertura em contrapartida. 


Internet Móvel 3G 4G
Huawei usa robôs em centro de distribuição no Brasil com uso do 5G industrial

Centro de Distribuição de Sorocaba-SP foi 100% digitalizado e ganhou maior capacidade de transferência de dados e a menor latência da nova geração tecnológica. Fabricante diz que houve um ganho de eficiência de 30%. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Qualcomm defende faixa de 6GHz para não licenciados atenta ao 5G

Diretor da Qualcomm, Francisco Soares, espera que a Anatel se defina por dar os 1,2GHz para os serviços licenciados. "O 6GHz não licenciado será o complemento ideal para os serviços licenciados 5G", sustenta.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G