Home - Convergência Digital

Oi se esquiva sobre 5G, mas acelera refarming por 4G e 4,5G

Convergência Digital - Carreira
Por Roberta Prescott - 04/06/2019

A Oi projeta terminar 2019 com 4,5 G cobrindo uma população de 34,2 milhões de pessoas, um salto em comparação aos 17,7 milhões de março último. A telco está fazendo refarming da faixa de frequência de 1.8 Ghz — e futuramente de 2,1 Ghz — para 4G e 4,5G.

Em coletiva de imprensa, realizada nesta terça-feira 4/6 em São Paulo, a Oi destacou que está investindo na expansão de fibra ótica e também no refarming para acomodar o 4,5 G. Bernardo Winik, diretor-comercial da Oi, ressaltou que o market share de net adds acelerou o ritmo de crescimento e atingiu 30% no primeiro trimestre de 2019. "É o resultado de investimento em cobertura e produtos inovadores", disse, citando como exemplos o gerenciamento da franquia contratada de internet no plano família.

Em seu balanço do último trimestre de 2018, a operadora informou que 23 cidades já contavam com estas funcionalidades e que a expectativa era atingir 41 cidades ainda no primeiro semestre de 2019. Outro objetivo do refarming é preparar a rede para a quinta geração (5G). Já com relação ao leilão de 5G o diretor de marketing da Oi, Roberto Guenzburguer, afirmou que, como a telco não sabe as regras, ainda não pode opinar. "Estamos olhando; quando as regras forem definidas, teremos um posicionamento", disse.

Questionados sobre as contestações que a Huawei vem recebendo nos Estados Unidos, os executivos asseguraram que a gigante chinesa não é fornecedora exclusiva da Oi. "Estamos acompanhando o mercado com preocupação, porque, de fato, é uma disputa, mas construímos a rede de forma não estarmos na mão de um único fornecedor", disse Winik. "Sempre temos alternativas e trabalhamos com redundâncias", completou Guenzburguer. Além da fabricante chinesa, a Oi tem acordos com a Nokia e outros fornecedores.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

19/08/2019
Oi reage e Conselho de Administração rejeita rumores de intervenção

16/08/2019
Levantamento elege a rede da Vivo a melhor do Brasil

16/08/2019
Anatel descarta intervenção iminente na Oi

15/08/2019
Venda de ativos vai manter investimentos da Oi acima de R$ 7 bilhões

15/08/2019
Oi: Fibra e pós-pago vão trazer receitas de volta

14/08/2019
Melhor horário para navegar no 4G é às 4 da manhã na América Latina

12/08/2019
Oi ganha contratação emergencial com Dataprev

09/08/2019
STJ: Teles são responsáveis por obrigações da Telebrás anteriores à privatização

08/08/2019
Oi tem 184 vagas para o Programa Geração Estágio. Inscrições acabam dia 18

08/08/2019
Bloqueio à Huawei impacta venda de smartphones. Mercado só recupera com 5G

Destaques
Destaques

Escassez de talentos e complexidade travam projetos de Internet das Coisas

Estudo global mostra ainda que quase 30% das provas de conceito falham por conta de implementação cara e da falta de profissionais capacitados. A segurança segue sendo desafiadora.

TIM supera rivais em disponibilidade e latência 4G. Claro lidera em velocidade de download

Relatório da OpenSignal mostra que a disponibilidade do sinal 4G melhorou no Brasil com o uso da faixa de 700 Mhz.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

O potencial pouco explorado da Internet das Coisas

Por Daniel Kriger*

A grande mudança que a Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) trará para a vida das pessoas está além da facilidade de se preparar um café, programar um banho quente ou economizar na conta de luz. Dar conectividade a objetos e abrir espaço para comandos inteligentes em inúmeras tarefas do dia a dia é um dos principais propósitos de IoT. Mas não é só isso.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site