Home - Convergência Digital

Quem são os novos CIOs, CDOs e CTOs na TI brasileira?

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 06/05/2019

A carreira executiva em TI está ganhando maior projeção e importância por conta da transformação digital. O mercado, observa o headhunter da da Yoctoo, Diego Barbosa, precisa de profissionais para gerenciar os processos tecnológicos, que entendam a relevância da tecnologia para a operação da empresa e que também saibam liderar pessoas. Essa visão estratégica com perfil executivo e liderança não são características facilmente encontradas nos profissionais da área, tornando o recrutamento desses profissionais uma demanda para consultorias especializadas.

No mercado nacional, sustenta Barbosa, existem três diferentes cargos executivo na área de tecnologia. Cada um deles exige perfis diferentes e são demandados por um tipo de empresa. Entenda a diferença entre CIOs, CDOs e CTOs.

CIO - Chief Information Officer: Esse profissional é o head na área de tecnologia em empresas tradicionais, ou seja, as organizações que ainda não possuem uma estrutura ágil para o negócio. São empresas que utilizam a tecnologia como ferramenta em alguns processos, mas que ainda não assimilaram a digitalização em todos os níveis, muito menos implementaram metodologias ágeis aos processos da empresa. São empresas onde a tecnologia é uma ferramenta importante, mas não se aproxima do core business.

Para quem respondem: O CIO responde diretamente para a presidência e, portanto, precisa ter visão estratégica de longo prazo e profundo conhecimento sobre o mercado de atuação da empresa e sobre o negócio.

Principais habilidades: Liderança também é uma habilidade básica para esse profissional, já que a gestão de pessoas é uma tarefa constante dele. E, mesmo não sendo um cargo recente, o CIO está ganhando muita projeção nos últimos anos. O profissional dessa área se diferencia pela real capacidade de penetrar o negócio, discutir com os pares de alta gerência de maneira estratégica e pela real capacidade de tornar-se um business partner.

CDO - Chief Digital Officer: Esse profissional é líder de transformação digital em empresas tradicionais, ou seja, aquelas que não possuem a tecnologia no core business, mas estão buscando internalizar as metodologias ágeis nos processos do negócio. Ele tem uma missão transformacional de fazer a tecnologia e seus conceitos permearem toda a empresa. Promover essa mudança é o grande desafio e, à medida que isso se torna uma realidade, o executivo ganha ainda mais responsabilidades e relevância para a organização.

Para quem responde: O CDO responde diretamente para a alta gerência. Ele tem responsabilidade sobre o resultado da área e, muitas vezes, é o responsável pelo desenvolvimento de novos canais da empresa. Lançamento de um e-commerce, canais interativos com o usuário, criação de aplicativos, entre outras frentes tecnológicas. É um profissional que precisa transitar entre a área de negócios e tecnologia de maneira muito natural e ágil.

Principais habilidades: Uma habilidade muito importante é o poder de influência, pois ele tem que defender novos projetos em um board de executivos com um mindset tradicional. Outra habilidade inerente é a capacidade analítica dos dados, bem como a capacidade de tomar decisão.

Esse é um cargo muito recente, que tem entre 5 e 10 anos. Está crescendo em um ritmo acelerado, já que cada dia mais as empresas estão atentas à necessidade de se digitalizar. O profissional dessa área se diferencia pela sua capacidade consultiva, por sua resiliência em transitar de negócios para tecnologia e por seu profundo conhecimento em cultura ágil.

CTO - Chief Technology Officer: Esse profissional é head da área de tecnologia em empresas onde o core business é digital, ou seja, empresas que já nasceram dentro do conceito de startup, que tem estruturas mais horizontais e são exponenciais. O papel desse profissional é garantir que a atividade core da empresa esteja funcionando de maneira constante e com excelência, além de ter responsabilidade de aprimorar as funcionalidades e evoluir o produto.

Para quem responde: O CTO responde diretamente para a presidência. Essa proximidade e sinergia com o business torna esse profissional tão importante quanto o CEO.

Principais habilidades: Liderança é a soft skill mais importante desse profissional. O profundo conhecimento técnico e a vivência de carreira nas áreas de desenvolvimento são inerentes ao perfil. Geralmente, são profissionais que construíram uma carreira linear em tecnologia, principalmente em desenvolvimento/engenharia de software. Essa profissão nasceu junto com as startups e a demanda do mercado por profissionais com esse perfil cresce com o aumento de empresas com base tecnológica. São profissionais que se diferenciam por sua carreira técnica, visão de negócios, capacidade analítica, visão de dono e liderança.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/08/2019
A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

13/08/2019
RH da OLX define planos de cargos e salários como ultrapassados

12/08/2019
Programa Fábrica de Talentos capacita mais de 300 alunos

05/08/2019
Dizer não é saudável para o ambiente de trabalho

05/08/2019
Polo Industrial do Software abre inscrições para programa de trainees

02/08/2019
TI Rio debate plano de cargos e salários para TICs

01/08/2019
Curso de gestão pública é top 1 de ranking nacional dos cursos a distância

29/07/2019
Dell oferece 1000 vagas em cursos de tecnologia por ensino à distância no Brasil

18/07/2019
Empresas oferecem 63 bolsas de estudo em Tecnologia

12/07/2019
Profissional do futuro é atento e despreza a zona de conforto

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

TICs vão demandar 700 mil novos profissionais na Indústria em cinco anos

Dados são do Mapa do Trabalho Industrial, feito pelo SENAI, que indicam ainda a urgência na qualificação de 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais por conta da indústria 4.0. Um dos especialistas em alta é o condutor de processos robotizados, com um incremento de 22% no número de vagas.

Técnicos são os que mais procuram especialização em Big Data

Cursos voltados para desenvolvimento Full Stack e Segurança Cibernética também são bastante demandados. No caso do big data, dos alunos formados nesta área, 45% possuem mais de 10 anos de experiência (sênior); 36% até nove anos (pleno) e 19% até três anos (recém-formados).

Agile reescreve a carreira do desenvolvedor de software

Ao mudar a entrega dos serviços – quebrando a prática dos longos projetos –, a metodologia também exige novos profissionais.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site