Home - Convergência Digital
Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Convergência Digital - Carreira
Por Breno Santos* - 14/08/2019

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada. Para concretizar seu papel como protagonista no setor de telecomunicações, empresas como a Huawei apoiam programas especiais em conjunto com instituições educacionais. No caso do Brasil, em todo o território nacional. O propósito é desenvolver talentos locais por meio de um projeto abrangente, envolvendo todos os elementos da cadeia produtiva.

Nossa iniciativa busca implementar instrumentos da indústria em instituições de ensino parceiras, com a disponibilização de treinamentos e a instalação de laboratórios high tech. Dessa maneira, conseguimos preparar melhor a geração que entrará no mercado de trabalho nos próximos anos e incentivar a criatividade dos estudantes para arquitetar soluções inteligentes. O contato com o meio universitário também nos traz insights interessantes, com perspectivas diferentes.

O Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel) é uma das universidades beneficiadas pelo investimento da Huawei em educação. A parceria com o Inatel existe há 16 anos e o programa, intitulado Fábrica de Talentos, iniciou suas atividades em Abril de 2017, capacitando 87 participantes com treinamentos teóricos e práticos, sendo que todos os participantes que concluíram o programa foram absorvidos pelos centros de pesquisa ou pela própria Huawei. Em 2018, a Fábrica de Talentos contou com a participação de 135 alunos, dos quais 76 foram aprovados para o programa de estágio remunerado. As edições do 1º semestre de 2019, que aconteceram entre os meses de Maio, Junho e Julho, contaram com a participação de 109 alunos e a previsão é que até o final do ano, cerca de mais 50 alunos sejam treinados. Desde o início do programa, já foram ofertadas 1500 horas de treinamento para desenvolver ainda mais a formação dos alunos do Inatel.

Outro projeto integrante da área de educação da Huawei é o Seeds for the Future, que seleciona alunos de destaque de instituições parceiras para um intercâmbio na China. O objetivo é colocá-los em contato com a cultura chinesa e executivos de alto escalão da empresa para uma troca de experiências e debates sobre o desenvolvimento de novas de tecnologias. A iniciativa, implementada em 2015, já soma mais de 100 participantes no Brasil e capacitou 20 mil estudantes, de 96 países. Esse ano, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Tocantins, Mato Grosso e Paraná foram os estados representados no Programa, com estudantes dos mais variados cursos - desde os tradicionais, como engenharia, às novas profissões, como, por exemplo, Jogos Digitais.
Exemplificando, acho interessante mencionar a história do Moisés Bittencourt, que é estudante do Inatel e foi aprovado no Seeds for the Future após passar por uma avaliação criteriosa. Ele planeja seguir carreira na área de comunicações móveis e criar a própria startup. Moisés reconhece que a oportunidade é uma maneira de conhecer novas soluções em Inteligência Artificial, Internet das Coisas e 5G e se aperfeiçoar profissionalmente.

O ICT Competition é outra iniciativa global da Huawei, um campeonato mundial entre estudantes de mais de 50 países que treinou, em três anos, mais de 70.000 talentos da América Latina. Pela primeira vez, o Brasil também esteve na disputa e agitou as universidades do País. Foram mais de 1.000 inscrições, posicionando o Brasil em quarto lugar em número de inscritos na região. Foram 13 instituições de ensino visitadas pela Huawei em 2018, impactando mais de 3.500 alunos para a importância da formação e o desenvolvimento de ideias e projetos de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).

O setor de TIC se desenvolveu muito rapidamente, com a aplicação de novas soluções, produtos e tecnologias. Hoje, há poucos profissionais no mercado com qualificação para acompanhar a evolução vertiginosa do segmento. Por isso, enxergamos a importância em capacitar a mão de obra, que carece de recursos técnicos e financeiros para avançar. Em um futuro próximo, a demanda por profissionais que atuem no setor será ainda maior com a perspectiva da implementação comercial do 5G.

Os resultados da Fábrica de Talentos, Seeds for the Future e ICT Competition fazem parte da missão da Huawei em ser parceira na transformação digital de seus clientes e parceiros e de estar no Brasil para o Brasil, entendendo suas particularidades e se adaptando a elas para construir um futuro ainda mais conectado.

*Breno Santos é diretor de serviços da Huawei do Brasil

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

16/09/2019
Graduação em Ciências de Dados terá 2610 horas

11/09/2019
Automação e IA exigem que Brasil reeduque sete milhões em três anos

09/09/2019
Centro de Inovação abre 100 vagas com jornada flexível e home office

09/09/2019
Governo prioriza banco de talentos para servidores federais

05/09/2019
Embraer abre 150 vagas para estágio e usa Inteligência Artificial

04/09/2019
Existem mais de 2 mil vagas abertas para DevOps no Brasil

02/09/2019
Governo esvazia Ciência e Tecnologia e corta bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado

14/08/2019
A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

13/08/2019
RH da OLX define planos de cargos e salários como ultrapassados

12/08/2019
Programa Fábrica de Talentos capacita mais de 300 alunos

Destaques
Destaques

TICs vão demandar 700 mil novos profissionais na Indústria em cinco anos

Dados são do Mapa do Trabalho Industrial, feito pelo SENAI, que indicam ainda a urgência na qualificação de 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais por conta da indústria 4.0. Um dos especialistas em alta é o condutor de processos robotizados, com um incremento de 22% no número de vagas.

Dizer não é saudável para o ambiente de trabalho

A posição é defendida pelo diretor geral da Robert Half, Fernando Mantovani. Segundo ele, acumular tarefas e colocar prazos em conflito é um risco alto.

Técnicos são os que mais procuram especialização em Big Data

Cursos voltados para desenvolvimento Full Stack e Segurança Cibernética também são bastante demandados. No caso do big data, dos alunos formados nesta área, 45% possuem mais de 10 anos de experiência (sênior); 36% até nove anos (pleno) e 19% até três anos (recém-formados).

Agile reescreve a carreira do desenvolvedor de software

Ao mudar a entrega dos serviços – quebrando a prática dos longos projetos –, a metodologia também exige novos profissionais.

Banco Itaú monta estratégia para reter os melhores profissionais

O uso da metodologia Agile transformou o processo de negócios, e o desafio é conquistar e fidelizar os melhores especialistas, pontua o superintendente de Governança de Arquitetura, Processos e Práticas de TI do Itaú, Cecílio Cosac Fraguas.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site