Home - Convergência Digital

Marketing excessivo e Fake News minam a confiança do usuário no 5G

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 17/07/2019

O marketing excessivo e as fake news sobre as qualidades e características do 5G podem minar a confiança dos consumidores na nova tecnologia, adverte o CEO da Opensignal, Brendan Gill. Segundo ele, as campanhas de marketing das operadoras precisam ser feitas com cautela para não criar falsas expectativas. "Quando as expectativas são muito altas, elas podem sair pela culatra", afirmou o executivo. Segundo ele, é o momento de as operadoras serem "mais realistas e alinhadas".

A Opensignal faz estudos globais sobre o impacto das infraesturutras e trabalha com o 5G. Ao Mobile World Live, Brendan Gill disse que informações conflitantes sobre a nova tecnologia móvel podem levar clientes finais e corporativos a decidirem esperar mais tempo para fazer o upgrade para os dispositivos 5G, se entenderem que não vão receber os benefícios prometidos.

“Notícias falsas são um problema real dentro da indústria de telecomunicações e são efetivamente prejudiciais para o progresso. Os operadores globais questionam qual o nível de investimento deve ser feito no 5G, em um momento que o retorno do investimento é crucial para a sobrevivência do negócio", relata o executivo. A preocupação com o futuro do 5G - muito em função de tudo que está sendo prometido ao usuário - já tinha sido externada pelos executivos da Verizon e da T-Mobile nos Estados Unidos.

Com marketing excessivo ou não, as operadoras estão deflagrando suas operações comerciais com o 5G. A Vodafone alemã, seguiu a concorrente Deutsche Telekom e, esta semana, ativou o 5G em vinte cidades como Colônia, Dusseldorf, Hamburgo, Dortmund e Munique Em agosto, a empresa levará a tecnologia para outras grandes cidades, como Berlim e Frankfurt, e pretende operar em 25 cidades, 25 municípios e dez parques industriais até o final de seu atual ano fiscal (final de março de 2020).

A rival Deutsche Telekom foi ao mercado em 3 de julho, lançando a tecnologia em seis cidades. A tele informou a meta de alcançar as 20 maiores cidades do país nos próximos 18 meses. Nas duas teles, o jogo 5G passa pelo preço baixo para incentivar a migração do 4G para o 5G. A Vodafone está com preços dem 14,99 euros por mês durante um ano. Já o preço ilimitado é de 80 euros por mês. A Deutsche Telekom está cobrando 75 euros pelo acesso ilimitado. O acesso ao 5G para usuários finais está sendo feito por dois smartphones: o Huawei Mate 20 X 5G e o Samsung Galaxy S10 5G.

Com informações do Mobile Live

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

12/02/2020
Huawei diz que está pronta para continuar parceria com as teles no 5G

12/02/2020
Leilão 5G: TIM diz que comprar banda para revender não pode estar na regra do jogo

11/02/2020
Governo do Brasil ainda avalia restringir Huawei na implantação do 5G

07/02/2020
Fechar a porta à Huawei no 5G vai custar US$ 21,9 bilhões ao PIB dos EUA até 2035

07/02/2020
Governo dos EUA sugere comprar controle de Ericsson e Nokia para bater a Huawei

07/02/2020
Coronavírus faz Ericsson desistir do Mobile World Congress. GSMA garante o evento

06/02/2020
Presidente da Anatel arrisca leilão do 5G acontecendo em novembro

06/02/2020
5G: Edital vai à consulta com 400 MHz em 3,5 GHz e bloco exclusivo para os pequenos

06/02/2020
5G exigirá uso de requisitos mínimos de Segurança Cibernética

06/02/2020
IDC: 5G se fala muito, se faz pouco e ainda não é real no Brasil para 2020

Destaques
Destaques

5G exigirá uso de requisitos mínimos de Segurança Cibernética

Tecnologia é apontada como 'uma revolução na comunicação de dados, no potencial de emprego de equipamentos de Internet das Coisas e na prestação de novos e disruptivos serviços".

5G: Diretrizes genéricas deixam espaço para acordo entre teles e TVs

Portaria do MCTIC não detalha qual a solução para interferências, indicando somente “medidas de melhor eficiência técnica e econômica”. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site