Home - Convergência Digital

5G já trouxe aumento de receitas para as operadoras

Luís Osvaldo Grossmann - 07/11/2019

O 5G avança mais rapidamente do que o 4G, como mostram os sinais vindos especialmente da Coreia do Sul, país pioneiro nas ofertas comerciais baseadas no aumento de capacidade da nova onda tecnológica. Como demonstrou durante o Workshop 5G, realizado no dia 05 de novembro, em Brasília, com organização da Network Eventos,  o diretor de soluções da Huawei, Carlos Roseiro, seis meses depois já foi possível verificar ganhos no faturamento das operadoras. 

“O que a gente vê são casos mundo à fora, tanto para consumidor pessoa física, residencial e corporativo. O mais adiantado é o caso da Coreia, onde as operadoras estão com boas experiências. Significa que o 5G com maior banda e menor latência, conseguem oferecer serviços com experiências transformadoras. Então realidade virtual, estádios com visão 360 graus, faz com que usuários queiram ter esse tipo de serviço. Estão dispostos a pagar mais por isso? Sim”, destacou Roseiro. Pacotes começam por volta do equivalente a R$ 200. O raciocínio é que o preço aumentou em cerca de 36%, mas para um volume de dados 16 vezes maior. 

Como defendeu o diretor de soluções da Huawei, “a fórmula ganha-ganha é que as operadoras cobram um pouco mais pelo 5G, mas entregam muitíssimo mais dados e velocidade. Na Coreia são mais de 3,5 milhões de clientes em seis meses. Sendo que 1 milhão assinou pacotes de valor agregado, realidade virtual. Portanto um terço já passou para esses pacotes. Como resultado, em apenas um trimestre as operadoras aumentaram as receitas em 2%.”

A flexibilidade do 5G também indica casos de uso para conexões residenciais, com as novas redes fazendo vez de fibra óptica onde essa instalação é mais complexa. Mas o maior potencial de faturamento e novos negócios tende a ser as aplicações industriais baseadas em baixa latência. 

“Sem dúvida o uso industrial é grande transformação que o 5G vai permitir. Talvez não seja o primeiro caso de uso, mas será o maior e realmente transformador da sociedade. Mas ainda está mais incipiente que os ofertas de consumo. Vemos muitos testes, demonstrações que indicam que melhora a eficiência. É um bom investimento para as operadoras, porque as empresas vão querer aumentar sua eficiência e estarão dispostas a pagar por isso.” Assista a entrevista com Carlos Roseiro, da Huawei.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

25/09/2020
OpenRAN aberta: o xeque-mate do xadrez geopolítico do 5G

24/09/2020
Com 114 redes ativadas, 5G já tem 138 milhões de acessos no mundo

22/09/2020
Economia prefere, mas não garante, leilão 5G não arrecadatório

22/09/2020
Para TIM, 5G não comporta neutralidade de rede

22/09/2020
Anatel: Crise afetou condições e preço do edital do 5G

22/09/2020
Vitor Menezes, Minicom: Vamos brigar por um leilão 5G não arrecadatório

21/09/2020
Comissão Europeia pede ações urgentes para ter 5G o quanto antes

17/09/2020
Telcomp vai ao STF contra leis que impedem antenas a 50 metros de residências em São Paulo

16/09/2020
Vale vai investir em laboratório 5G

15/09/2020
5G vai atrasar se teles tiverem que pagar limpeza da Banda C

Destaques
Destaques

Vitor Menezes, Minicom: Vamos brigar por um leilão 5G não arrecadatório

O Ministério das Comunicações sinalizou às operadoras que trabalha para convencer os colegas de Esplanada a concentrar os valores envolvidos no leilão do 5G em compromissos de cobertura, minimizando o preço a ser pago ao Estado, afirmou o secretário de Telecomunicações, Vitor Menezes, ao participar do Painel Telebrasil 2020.

Claro: Sem antenas, São Paulo fica fora do 5G

CEO da Claro, Paulo Cesar Teixeira, criticou a miopia de executivos que ainda insistem em colocar restrições à implantação de antenas, como acontece na cidade de São Paulo. "5G é a grande plataforma para permitir um salto econômico mais vigoroso", advertiu.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet 5G traz disrupção para Telecomunicações até no modelo de negócio

Por Eduardo Grizendi*

Na RNP, estabelecemos um objetivo estratégico ambicioso – o de prover uma ciberinfraestrutura, segura, de alto desempenho e disponibilidade e, ao mesmo tempo, ubíqua, onipresente, em qualquer lugar e a qualquer hora, para nossas comunidades de educação, pesquisa e inovação.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site