GOVERNO » Política Industrial

Governo e empresas criam Câmara para acelerar digitalização da indústria

Luís Osvaldo Grossmann ... 03/04/2019 ... Convergência Digital

Uma costura entre os ministérios da Economia e de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações e da CNI resultou no lançamento, nesta quarta, 3/4, da Câmara da Indústria 4.0, que se propõe um espaço de articulação para que ações efetivas, medidas administrativas e mudanças legais que acelerem a transformação digital no setor produtivo.

Em certa medida, trata-se de um spin-off da Câmara de IoT, com foco no setor industrial – o que implica em tocar adiante ações previstas no esperado plano nacional de internet das coisas, mas também questões que interessam à indústria e que não fazem necessariamente parte da política de IoT, como impressão 3D, por exemplo.

“No processo de acelerar o parque produtivo na realidade do século 21, em que as tecnologias da informação são estratégicas, a Câmara tem o papel de monitorar as ações e os ajustes ao longo do tempo, mas principalmente de dar velocidade e cobrar, cobrar resultados de forma muito efetiva”, resume o secretário de empreendedorismo e inovação do MCTIC, Paulo Alvim.

A coordenação é da Sempi/MCTIC em conjunto com a secretaria de indústria, comércio e inovação do Ministério da Economia e a estrutura inclui um Conselho com integrantes das duas pastas e também da Confederação Nacional da Indústria, BNDES, Embrapii, Sebrae, Abdi, CNPq e Finep. Haverá quatro verticais, sobre capital humano e desenvolvimento tecnológico, lideradas pelo MCTIC, e sobre cadeias produtivas e regulação, infraestrutura e investimento, com o ME.

O marco referencial para o trabalho é o plano para manufatura avançada, apresentado no fim de 2017 e que diagnosticou as dificuldades de conectividade e de qualificação de mão de obra como os maiores obstáculos à materialização da chamada 'indústria 4.0' no Brasil.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

PL quer adiar venda do Serpro, Dataprev, Telebras e outras estatais

Proposta, que está em análise na Câmara dos Deputados, ressalta que o 'períodos de crise são um excelente momento para quem compra e péssimo para quem vende'. Privatizações estão agendadas para junho de 2021. Ideia é adiar as vendas para 12 meses após o fim da pandemia de Covid-19.

STF derruba MP que mandava teles repassarem dados de clientes ao IBGE

Prevaleceu o entendimento da relatora, Rosa Weber, de que a ordem de recolher nome, endereço e telefone de todos os clientes de telefonia fixa e móvel configura medida excessiva, sem finalidade delimitada ou garantias suficientes. 

Governo lança guia de melhores práticas de adequação à LGPD

Manual ressalta que o compartilhamento de informações na administração é possível, mas precisa respeitar os princípios da Lei Geral de Proteção de Dados. 

Toffoli pede vista e adia julgamento sobre bitributação do software no STF

Suspensão do julgamento agrada o setor de tecnologia da informação, que defende uma análise conjunta das diferentes ações sobre o mesmo tema, uma vez que a primeira delas já tem mais de 20 anos. 

“Sem clima”, governo adia privatização de Serpro, Dataprev e Telebras

Secretário de desestatização, José Salim Mattar, por conta do coronavírus, empurrou toda a agenda de venda de ativos. Por enquanto, estatais de TI ficaram para o fim de 2021. A Telebras foi para 2022. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G