NEGÓCIOS

Pagamentos instantâneos e open banking reescrevem o sistema financeiro no Brasil

Por Roberta Prescott e Carlos Afonso ... 26/06/2019 ... Convergência Digital

Um novo modelo de parcelamento está disponível aos brasileiros desde o fim do primeiro trimestre deste ano: é o crediário no cartão de crédito. Em entrevista à CDTV, do Portal Convergência Digital, durante o CIAB Febraban, realizado de 11 a 13 de junho, em São Paulo, Fernando Teles, diretor-geral da Visa do Brasil, explicou que o crediário no cartão de crédito é uma evolução de solução e que a tecnologia para habilitá-lo já existia.

"O que foi feito foi desenvolver uma solução para conseguir financiar uma determinada compra no cartão de crédito, em parcelas maiores, com mais prazo, com taxas menores e com prazo de pagamento menor para o estabelecimento", disse. O executivo também falou sobre como a Visa está trabalhando com open banking.

"O open banking no Brasil ainda não está regulamentado, mas já operamos com isto, porque este movimento começou na Europa com a diretriz PSD2. Já operamos assim na Europa e temos mais de 250 APIs abertas da Visa para serem consumidas pelos nossos parceiros e desenvolvedores; então, estamos bastante atuantes neste segmento", explicou, completando que a vantagem de ser uma companhia global é adotar modelos testados em outros países.

Para o Brasil ter projetos de open banking no modelo europeu, é necessário contar com regulamentação, assim como a PSD2 (Revised Payment Service Directive), da União Europeia. O Banco Central do Brasil publicou, em 24 de abril último, comunicado com os requisitos fundamentais para a implementação no Brasil do sistema financeiro aberto (open banking) — veja em https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/exibenormativo?tipo=Comunicado&numero=33455. 

Com base nos requisitos apresentados, a expectativa do Bacen é de que o modelo de open banking seja implementado a partir do segundo semestre de 2020. Também se espera que o Banco Central do Brasil submeta à consulta pública as minutas, no segundo semestre de 2019, propondo a definição, entres outros aspectos, de escopo, abrangência, responsabilidades, requisitos mínimos para operacionalização do modelo, controles internos, gerenciamento de riscos e condições mínimas para a relação contratual que venha a ser estabelecida entre instituições autorizadas e terceiros não autorizados, além do próprio cronograma de implementação.

Teles disse que o modelo de open banking aporta inovação de produtos com uma velocidade de desenvolvimento maior e vai possibilitar que a indústria se modernize. "Vejo um mundo efetivamente mais colaborativo", afirmou. Na entrevista, ele também opinou sobre os pagamentos instantâneos e o que a indústria está fazendo para aumentar a penetração dos meios eletrônicos de pagamento. Confira o vídeo na íntegra:


Tecnologia da informação evita tombo maior do setor de serviços

Segundo o IBGE, apesar do desempenho ruim das telecomunicações, os serviços de TI exercem a principal contribuição positiva dos serviços no acumulado até agosto de 2019. 

Rio de Janeiro precisa deixar de exportar CPF e CNPJ

"O Rio é protagonista de geração de inteligência e, hoje, temos de nos desafiar para reter nossos talentos", afirma o coordenador do Rio Info 2019, Alberto Blois. A diversidade foi a 'cara' do evento em 2019.

Fusões e aquisições em TI remodelam o mercado interno

Pesquisa da KPMG mostra que, no primeiro semestre, aconteceram 61 operações de compra em TI no Brasil, sendo 39 domésticas, 18 aquisições por grupos estrangeiros e 4 empresas brasileiras comprando companhias estrangeiras.

BR Distribuidora: A TI não pode se esconder atrás dos processos para se defender

"A TI precisa entender que do jeito que era não funciona mais. Ela precisa se enxergar como parte integrante do negócio", diz o CIO da BR Distribuidora, Aspen Andersen.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G