Home - Convergência Digital

TIM faz testes de 5G em Florianópolis, Campina Grande e Santa Rita do Sapucaí

Convergência Digital - Carreira
Da Agência Telebrasil - 22/05/2019

Ao Participar do Painel Telebrasil 2019, nesta quarta-feira, 22/05, o presidente da TIM Brasil, Pietro Labriola, anunciou o lançamento de três testes de 5G, utilizando a faixa de 3,5 GHz e equipamentos dos três principais fornecedores – Huawei, Ericsson e Nokia. “É um primeiro teste para entender melhor o funcionamento da tecnologia. Teste em laboratório é uma coisa. Quando está fora podemos entender melhor se temos problemas de interferência, por exemplo”, afirmou Labriola, ao falar das perspectivas da nova onda tecnológica.

O primeiro teste acontece em Florianópolis-SC, em parceria com a Fundação CERTI e equipamentos da Huawei. O foco, segundo Labriola, é o uso do 5G como alternativa aos acessos em fibra óptica na última milha. “Estamos inicialmente fazendo testes sobre acessos fixos sem fio, tendo em vista que o 5G pode ajudar a substituir o FTTH, a rede fixa, pela rede móvel. A rede fixa, para o tamanho do Brasil, precisa de tecnologia complementar”, explicou o presidente da TIM Brasil.

A outra iniciativa é em parceria com a Ericsson e o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), em Santa Rita do Sapucaí-MG. Segundo a empresa, envolve a implantação de soluções inteligentes para iluminação, segurança e rastreamento de veículos, no contexto das expectativas para a internet das coisas. “Estamos testando também alguma solução de realidade virtual e outros. E aguardamos para fechar com a Itália a possibilidade de fazer o mesmo teste feito lá com carros autônomos”, revelou Labriola.

Ainda um terceiro teste é em Campina Grande-PB, em parceria com a Nokia e o Núcleo de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Tecnologia da Informação, Comunicação e Automação (Virtus) da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). O foco lá são soluções para cidades inteligentes, utilizando a plataforma NB-IoT.

Como destacou durante a apresentação no Painel, a implantação do 5G no Brasil exige soluções para problemas já enfrentados pelas prestadoras. “O primeiro assunto é resolver rapidamente o processo de licenciamento das antenas. O 5G precisa não só de antenas, mas de small cells, então esse processo precisa ser muito rápido para evitar o risco de comprar a frequência e não conseguirmos implantar. Outro problema é a cobrança do Fistel sobre IoT. Porque quando se trabalha em um mercado de máquina a máquina com Arpu mensal de R$ 2, R$ 3, a taxa sobre isso faz o negócio inviável.”

Para fazer os testes, a TIM obteve autorização da Anatel para utilizar 100 MHz na faixa de 3,5 GHz – considerada pela agência como a frequência pioneira para o 5G no país – por um prazo inicial de 60 dias, que pode ser prorrogado. A empresa espera fazer o lançamento comercial da tecnologia no Brasil em 2021.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/05/2020
Cisco: 'Sempre estivemos e estamos no jogo do 5G"

27/05/2020
Coronavírus atrasa entrega de telefones 5G e impacta venda global de celulares

22/05/2020
Anatel: Parabólicas comprometem porta de entrada do 5G no Brasil

21/05/2020
Anatel confirma que filtros não resolvem interferência do 5G nas parabólicas

19/05/2020
TIM permite o uso do auxílio emergencial para pagamento de faturas e recarga

14/05/2020
Ericsson: Compartilhamento de espectro permite 5G às teles antes do leilão

12/05/2020
Pioneira no 5G, Coreia do Sul projeta redes standalone até o fim de 2020

11/05/2020
Ericsson: Covid-19 aumentou a demanda por 5G

08/05/2020
Anatel já sinaliza que Covid-19 vai adiar leilão do 5G para 2021

08/05/2020
Interferência nas parabólicas pode reduzir espectro para 5G

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site