Home - Convergência Digital

Banco do Brasil usa IoT na gestão dos ativos de terminais de autoatendimento

Convergência Digital - Carreira
Por Carmen Nery e Pedro Costa - 17/06/2019

O Banco do Brasil estuda uma estratégia para implementação de aplicações de Internet das Coisas (IoT). Wagner Leão Costa Filho, gerente de Soluções da Diretoria de Tecnologia do BB, revelou no CIAB Febraban 2019, realizado de 11 a 13 de junho, em São Paulo, que o banco já vem utilizando IoT na gestão dos ativos de terminais de autoatendimento.

Mas ele ressaltou que IoT vem acompanhado de diversos casos de uso da indústria financeira, como agronegócio, crédito e seguros, áreas que ainda estão na etapa de pesquisa e desenvolvimento mas que o banco espera que tragam resultados em breve.

O Banco do Brasil é o maior financiador do crédito agrícola no País e estuda aplicações de telemetria e, principalmente, de análise de risco e ajuda ao produtor no monitoramento da sua safra. "É possível usar dados de clima para saber como será a produtividade da safra e minimizar o risco do produtor e, no caso dos bancos, acender um alerta de possível inadimplência. O IoT é importante para o agronegócio, mas ainda está em desenvolvimento. Boa parte dos dados a gente já possui, mas ainda há muito a evoluir no setor agrícola", ressalvou o gerente do BB.

O banco também realiza testes com os correntistas, numa aplicação em que o usuário clica no botão "Falar com o BB" e pode ter retorno de sua demanda por Whatsap ou chat. Costa Filho disse que os desafios da implementação de IoT na indústria financeira são os mesmos de toda tecnologia: segurança, privacidade e alto volume de dados. Mas ele reconheceu que a indústria de TI tem oferecido dispositivos cada vez mais seguros.

"Os casos de uso são diversos, temos muito o que explorar ainda, mas segurança e volume de dados são dois grandes desafios. Estamos tratando a privacidade, sempre associando o uso dos dados a alguma funcionalidade ou algum valor que entregamos ao nosso cliente." Assistam à entrevista com Wagner Leão Costa Filho, do BB.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

08/10/2019
IBM: Multicloud híbrida é um ativo para a transformação digital

08/10/2019
Cobol, C e Assembler: Linguagens de programação mais vivas do que nunca

07/10/2019
Clientes não querem reescrever aplicações ao migrar para nuvem

07/10/2019
Storage é o 'coração' da convivência entre o mainframe e a nuvem

24/09/2019
Boa parte dos jovens profissionais de TI está deixando o Brasil

24/09/2019
TelComp: preservar a concorrência é obrigação do novo Marco de Telecom

23/09/2019
TIM: Sem antena e capacitação de mão de obra, agricultura 4.0 não sai do papel

17/09/2019
Campo conectado exige a instalação de muita antena

13/09/2019
Claro vai fornecer WiFi nativo em todos os carros da GM na América Latina

04/09/2019
Existem mais de 2 mil vagas abertas para DevOps no Brasil

Destaques
Destaques

5G chegará a 75 milhões de conexões na América Latina até 2023

Até lá, a tecnologia LTE segue com um crescimento considerável. Em junho foram 4,7 bilhões de conexões, ou 53% de todas as conexões celulares no mundo, revela a 5G Americas.

TVs defendem migração da banda C para Ku e calculam custo em R$ 2,9 bilhões

Abratel, que representa Record e Rede TV!, apresentou formalmente à Anatel uma proposta de migração das transmissões como forma de evitar a interferência do uso da faixa de 2,5 GHz nas antenas parabólicas.  

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site