Home - Convergência Digital

Os oito erros que barram a sua chance de encontrar um emprego

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 03/04/2019

Além de conhecimento e habilidades compatíveis com uma determinada vaga, um currículo organizado e bom histórico em experiências anteriores, o profissional precisa ficar de olho em outros detalhes. Para Lucas Oggiam, gerente executivo da Page Personnel, consultoria de recrutamento especializada em cargos técnicos e de suporte à gestão, pertencente ao PageGroup, é crucial para um profissional que busca recolocação no mercado de trabalho ser analítico ao construir e revisar as suas habilidades.

"Outros pontos que podem comprometer a candidatura e dificilmente são levados em consideração pelo profissional são mais sutis ainda, como as postagens em redes sociais, excesso de intimidade com o recrutador ou erros gramaticais na elaboração do currículo”, explica. Oggiam compilou os oito erros mais comuns na busca por vagas no mercado de trabalho, divulgados em reportagem no portal Info Money. Confira:

1. Complicar o currículo

Nem sempre colocar muitas qualificações e informações no currículo é uma boa opção. "O que pode fazer você ser descartado logo nas primeiras fases da disputa por uma vaga é o currículo prolixo e com informações irrelevantes. Tente compilar suas habilidades em poucas linhas para que o recrutador possa analisar de forma dinâmica e rápida sem perder o interesse", diz Oggiam.

2. Parar de investir em si mesmo

Cursos de atualização, educação continuada, cursos gratuitos online e presencial - todo conhecimento é bem-vindo. Para o recrutador, é importante saber que o candidato tem interesse em evoluir profissionalmente. "Demonstre que está interessado em agregar conhecimento ao seu currículo investindo em você com competências que não condizem somente aquela vaga", orienta.

3. Postura desagradável

Alguns sinais de ansiedade diante do recrutador são compreensíveis. Porém, é importante ter uma postura cordial e profissional durante uma entrevista. Segundo Oggiam, é ideal evitar desvios com o celular, olhar excessivamente para o relógio ou atropelar a fala do entrevistador.

"Sua postura será analisada não só nas competências profissionais, mas também na sua eloquência, educação e cordialidade", diz o especialista.

4. Mentir

Exagerar sobre suas capacidades ou mentir sobre algo que tenha feito é inadmissível. "Dizer que não tem determinada habilidade não deve ser visto como ponto negativo, e sim como uma oportunidade para demonstrar pró-atividade. Ratifique sua vontade de absorver novos conhecimentos e seja honesto quanto as suas competências atuais", afirma Oggiam.

5. Não se preparar para a entrevista

Leia, pesquise, pergunte sobre a vaga e empresa para qual você irá se candidatar. Mostre conhecimento sobre o momento que a empresa vive e se possível procure se informar sobre seus projetos atuais.

6. Ser descuidado com as redes sociais

Segundo o especialista, utilizar redes sociais é parte do momento de lazer, mas é preciso tomar cuidado com postagens e opiniões emitidas. O ideal é não ser muito taxativo ou agressivo na internet."Emita opiniões ponderadas e não compartilhe notícias de fontes duvidosas. Por mais que suas redes sociais sejam bloqueadas, você pode ter conexões que podem ser utilizadas como networking no futuro. Seja cuidadoso", diz.

7. Ver o recrutador como amigo

"Por mais que o recrutador seja sociável, evite ser muito íntimo. Lembre-se ele é um profissional que está analisando sobre tudo a sua postura e relações humanas. Seja amigável, mas evite intimidade em excesso", orienta Oggiam.

8. Desanimar

Pode ser frustrante a quantidade de ‘nãos’, mas é necessário persistir e se mostrar aberto às chances que podem aparecer.

Fonte: portal Info Money

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

20/05/2019
Empresa desenvolve algoritmo que seleciona candidatos a emprego

20/05/2019
Falsas ofertas de emprego fazem o Brasil campeão de phishing

02/05/2019
Mais de meio milhão de brasileiros trabalham com TICs

26/04/2019
TI precisa de 420 mil novos profissionais até 2024

26/04/2019
Salários em TICs são três vezes maiores que a média nacional

24/04/2019
Embraer usa IA para contratar e abre 40 vagas para TI e cibersegurança

18/04/2019
Empresa de negócios digitais busca profissionais de Mainframe

17/04/2019
Empresa de TI abre 119 vagas

11/04/2019
Plataforma digital abre mais de 200 vagas em São Paulo e Campinas

05/04/2019
Telecine, da Globosat, procura por cientistas de dados

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

Assespro é contra a regulamentação da profissão de TICs

Entidade das empresas de TI se posiciona contrária ao PLS 317/17. que passa a exigir diploma de profissões como Analista de Sistemas, desenvolvedor, engenheiro de sistemas, analistas de redes, administrador de banco de ados, suporte e profissões correlatas.

Brasscom: É urgente incluir computação no currículo do ensino médio e fundamental no Brasil

Apenas Internet das Coisas, vai gerar uma demanda de 107 mil profissionais que não estão disponíveis no Brasil, adverte o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.

TI precisa de 420 mil novos profissionais até 2024

Formação de mão de obra, que já sofre para atender a demanda, vai ficar longe dos 70 mil novos empregos por ano. IoT, Big Data e segurança são áreas de maior demanda.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site