Home - Convergência Digital

América Latina avança no uso de redes 4G com capacidades acima de 1 Gbps

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 13/03/2019

Entre janeiro e dezembro de 2018, novas redes LTE-Advanced (LTE-A) foram implantadas em cinco países da América Latina e Caribe de língua espanhola, como produto de novas alocações de espectro e investimentos das operadoras para continuar com a evolução das redes 4G. Hoje existem redes LTE-A em 13 dos 19 países da região.

A LTE-A é uma evolução da tecnologia de quarta geração (4G) LTE definida nas especificações do Release 10 do 3GPP adiante, entre outras vantagens, permite oferecer velocidades de download pico teóricas que ultrapassam 1 Gbps, e permite um uso mais eficiente do espectro radioelétrico, graças à técnica de agregação de portadoras (carrier aggregation, na sigla em inglês).

Ao final de 2017, apenas 8 dos 19 países contavam com ao menos um desenvolvimento comercial de LTE-A. Durante 2018, desenvolveram-se novas redes com esta tecnologia pela primeira vez na Colômbia, na Costa Rica, na Guatemala, no México e no Panamá. Dos países que desenvolveram redes LTE-A, três deles – Costa Rica, México e Panamá – licenciaram um novo espectro entre 2017 e 2018, o que reflete a importância de alocar este recurso para permitir o desenvolvimento tecnológico.

De acordo com a informação à disposição da 5G Americas, os desenvolvimentos comerciais LTE-A tem ocorrido em média 46 meses depois do inicio de operações das redes LTE, ou seja, mais ou menos em quatro anos. Até 2018 ainda existiam seis países onde se havia desenvolvido redes LTE-A: Bolívia, El Salvador, Honduras, Nicarágua, Paraguai e Venezuela. O estudo indica que a maioria das redes LTE na região foi lançada entre os anos de 2012 e 2014, e a maioria dos inícios de operações LTE-A ocorreram entre 2016 e 2018.

É importante, de acordo com a 5G Americas, que as administrações nacionais coloquem à disposição das operadoras espectro disponível em bandas como a de 700 MHz, 1,9 GHz, 1,7 / 2,1 GHz (conhecida como AWS) e 2,5 GHz, por serem bandas que já contam com ecossistemas de tecnologia e que tem promovido o desenvolvimento de conectividade 4G em vários mercados da região.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

28/06/2019
Em cinco meses, 4G ganha mais 10 milhões de chips

04/06/2019
Oi se esquiva sobre 5G, mas acelera refarming por 4G e 4,5G

31/05/2019
Brasil ativou 8 milhões de chips 4G de janeiro a abril

20/05/2019
No Brasil, 60% dos celulares já são 4G

17/05/2019
4G:Claro supera rivais em experiência de navegação. TIM tem menor latência

30/04/2019
País ativa 2 milhões de chips 4G por mês

23/04/2019
Decreto com metas de 4G não pode ser cumprido em um terço das cidades

23/04/2019
TIM e Claro lideram perda de assinantes. Pós-pago chega a 44,67% do mercado

16/04/2019
Claro tem menor latência no 4G. TIM a maior cobertura

08/04/2019
Pós-pago supera 100 milhões de acessos com impulso do 4G

Destaques
Destaques

Varejo x bancos: carteira digital vira superaplicativo

Superados os obstáculos iniciais, mercado não financeiro acelera estratégia para ficar com preferência dos consumidores.

Para injetar R$ 200 bilhões na economia, IoT tem de ficar livre das amarras tributárias

Relator da proposta de tributo zero para Internet das Coisas, deputado Eduardo Cury, do PSDB/SP, disse que o setor precisa municiar o Parlamento com dados para convencer à Casa a conceder a desoneração.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

O potencial pouco explorado da Internet das Coisas

Por Daniel Kriger*

A grande mudança que a Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) trará para a vida das pessoas está além da facilidade de se preparar um café, programar um banho quente ou economizar na conta de luz. Dar conectividade a objetos e abrir espaço para comandos inteligentes em inúmeras tarefas do dia a dia é um dos principais propósitos de IoT. Mas não é só isso.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site