OPINIÃO

Smartphones colocam Inteligência Artificial na palma da mão

Por Samir Vani*
08/04/2019 ... Convergência Digital

Tecnologia que até pouco tempo mais parecia coisa de ficção científica, a Inteligência Artificial já está nas mãos das pessoas – e boa parte delas nem sabe. Como? Pois ela já faz parte de nossos smartphones, com destaque para os recursos de captura de imagem, ou seja, as câmeras dos celulares. Atualmente a Inteligência Artificial, com o uso de técnicas conhecidas como “Deep Learning”, permite melhorias profundas na detecção de faces e funcionalidades de sobreposição ou mudança de rosto em tempo real, identificação de objetos e cenas, aceleração AR/RM e melhorias como embelezamento em tempo real para fotografia e vídeo, entre muitos outros.

As câmeras dos smartphones funcionam como uma porta de entrada para essa nova realidade. Tecnologias como a Edge AI, a inteligência artificial na computação de borda, em tradução literal,  possibilitam esses cenários, nos quais os chips dos smartphones trazem processadores e instruções especificas para a IA. E isso, cada vez mais, trará uma comunicação mais natural, além de interação mais rápida e eficiente com sistemas e equipamentos. Entre as principais aplicações de IA que devem ganhar fôlego impulsionadas pelo celular vale destacar:

Reconhecimento fácil  

Segundo o instituto Research and Markets, o mercado global de biometria facial deve atingir cerca de US$ 10 bilhões em 2023. E são muitas as aplicações, além da segurança. É por isso que os fabricantes de smartphones e de chips para celulares estão se aventurando cada vez mais na geração de experiências por meio dessa nova tecnologia. Ser capaz de pagar a conta em uma farmácia ou no supermercado apenas com o rosto, sem usar cartões ou dinheiro, será uma tendência crescente no mundo nos próximos meses.

Identificação de cenas, objetos e pessoas 

Graças à Deep Learning, o reconhecimento de imagem tem sido uma das áreas nas quais se notou a maior evolução na Inteligência Artificial. Estão previstos grandes avanços e investimentos dessa tecnologia, já que os casos de uso são diversos, em indústrias e setores, como tagueamento de imagens, verificação de usuários com reconhecimento de face, diagnóstico de doenças e detecção de placas, entre outros.

Realidade aumentada

Essa tecnologia tem várias aplicações que vão desde videogames a simulações e parques temáticos. A compreensão do potencial da realidade aumentada torna-se cada vez mais visível. Só as vendas de óculos de realidade virtual e acessórios para realidade aumentada cresceram cerca de 30% em 2018, atingindo 4,2 milhões de unidades, segundo dados da consultoria IDC.

É possível notar uma convergência entre dispositivos portáteis, realidade aumentada e Internet das Coisas (IoT), que aumentará a demanda por essa tecnologia, proporcionando uma experiência de usuário mais interativa e imersiva. Também ocorrerão aplicações em marketing, filmes e campanhas promocionais, porque sua atratividade se torna uma ferramenta muito eficaz. Estima-se que o mercado de IA movimentou US$ 1,2 trilhão em 2018 (aumento de 70% em relação ao ano anterior). Para 2022, a expectativa da consultoria Gartner é de que movimente nada menos que US$ 3,9 trilhões.

O futuro dos dispositivos aprimorados com IA é promissor. Teremos equipamentos perfeitamente adaptados às nossas necessidades e hábitos. Smartphones que verificam sua saúde, e com a integração da Internet das Coisas com a Inteligência Artificial, nossas casas ficarão ainda mais inteligentes, sem contar com aplicações industriais que também se beneficiarão da integração dessas tecnologias. Com certeza veremos mais integração dessas tecnologias no dia a dia das pessoas nos próximos anos. E, graças aos smartphones, o acesso também estará na palma da sua mão.

*Samir Vani é Country Manager da MediaTek, empresa fabricante global de processadores para equipamentos como smartphones, tablets, TVs digitais, dispositivos wearable e soluções para carros conectados

 


Carreira
Telefônica vincula 15% do salário variável dos executivos a indicador de confiança dos clientes

Metas de 2019 terão como base o Net Promoter Score, que avalia a probabilidade dos clientes recomendarem os serviços da empresa. Atualmente, 1.650 gestores e especialistas no Brasil são elegíveis ao programa de bônus Executivo Global da Telefônica.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G