INCLUSÃO DIGITAL

Teles e TVs disputam R$ 800 milhões em sobras da TV Digital

Luís Osvaldo Grossmann ... 06/12/2018 ... Convergência Digital

Começou a última fase da migração de municípios para recepção de televisão apenas digital, no bem sucedido modelo adotado pelo Brasil que combinou a transição das transmissões com a liberação da faixa de 700 MHz, usada pelas operadoras de telefonia móvel no 4G. Mas com isso também começa uma nova etapa: a decisão sobre como utilizar os cerca de R$ 800 milhões em sobras dos recursos previstos para essa migração.

As TVs largaram na frente e já apresentaram uma proposta efetiva para que boa parte desse dinheiro seja destinada, além da distribuição de conversores, à digitalização de municípios onde as transmissões atuais, analógicas, foram financiadas pelas prefeituras. São cerca de 3 mil retransmissoras em mais de 1,6 mil municípios onde a TV só chegou porque as próprias cidades compraram as antenas. Mas que não conseguem dar o salto para o digital.

Nas contas das emissoras de televisão, com entre R$ 500 milhões e R$ 600 milhões seria possível digitalizar um universo próximo a 25 milhões de brasileiros que, pelo cronograma como está, vão ficar sem televisão em 2023, prazo para o ‘apagão’ analógico para todas as cidades que não fizeram parte do trabalho de migração que agora caminha para o final, restrito a 1,3 mil municípios. Os outros R$ 200 milhões a R$ 300 milhões, nesse caso, ficariam com a EAD, ou Seja Digital, para garantia contra eventuais contingências.

A ideia não agrada as operadoras móveis, que tiveram descontado do preço que pagaram pela faixa de 700 MHz os R$ 3,6 bilhões que foram por sua vez destinados à transição digital. Elas preferiam extinguir a EAD, que é o braço operacional da migração, responsável pela distribuição de kits de conversores e de transmissores digitais, além da mitigação de interferências. E se possível deixar a sobra para temas de interesse direto das telecomunicações.

Nos últimos meses, as teles (e a própria Anatel) ventilaram a ideia de usar a sobra para financiar a banda larga onde não há rentabilidade. Mas também chegou às discussões uma proposta de usar esse dinheiro para fazer a mitigação das interferências previstas com o uso da faixa de 3,5 GHz sobre as antenas parabólicas. Só que esse leilão, do que a agência define como a primeira frequência destinada ao 5G, ainda sequer tem data para acontecer.

A proposta das emissoras privadas ganhou apoio das TVs públicas porque os novos transmissores digitais comportam até seis canais. E como existem, no máximo, até quatro emissoras que alcançam as cidades envolvidas na proposta, haveria espaço para inserir também os canais públicos. A Astral, que representa emissoras legislativas, até já formalizou sugestão nesse sentido como adendo à proposta subscrita pela Abert e Abratel, as entidades das TVs privadas.

Nesta semana, o Gired, o grupo que reúne governo, Anatel, teles e TVs para coordenar a transição digital, costurou o plano de que os projetos para uso das sobras serão reformulados e apresentados até fevereiro de 2019, com uma posição final do Conselho Diretor da Anatel – pois são recursos associados ao edital do leilão dos 700 MHz – até abril do próximo ano.


TV Digital: Com parecer pró-TVs, Anatel acena com recursos para banda larga

Disputa pelos R4 3,6 bilhões acontecia entre TVs e Teles. Com saldo, haverá dinheiro para os demais projetos, afirma o presidente do Gired, conselheiro Moisés Moreira.

Infovias compartilhadas são estratégicas para ampliar a banda larga

Governo costura uma agenda de ações para massificar o acesso à conectividade no Brasil, entre elas está a revisão do fomento para as cidades inteligentes, revela o secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Menezes. Política governamental será debatida no Brasscom TecFórum, que acontece nos dias 24 e 25 de abril, em Brasília.

Embratel instala 15 mil novos hotspots gratuitos de Wi-Fi em Pernambuco

Operadora explica que serão 12500 pontos Wi-Fi instalados em órgãos do governo do Estado e aproximadmente 3000 direcionados para praças e locais públicos. Iniciativa faz parte do programa Pernambuco Conectado, que tem investimentos previstos de R$ 180 milhões.

Para Cade, não houve abuso das teles em questionar contrato da Telebras

Estatal acusou Sindisat, Sinditelebrasil e a amazonense Via Direta de ligitância de má-fé nas disputas judiciais pelo uso do satélite nacional. Para órgão antitruste, aões não eram infundadas.

Anatel empurra para abril decisão sobre uso das sobras da TV Digital

Grupo com teles, TVs, governo e agência tem até aqui três propostas distintas de como aplicar os estimados R$ 877 milhões.

Renegociação dobra fatia da Telebras em acordo com Viasat

“Aparentemente a negociação foi conseguida e vamos analisar a proposta em pouquíssimo tempo. Temos toda a pressa para permitir que o satélite seja eficaz”, afirma o ministro do TCU, Benjamin Zymler.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G