TELECOM

Em quatro anos, telefonia celular no Brasil perdeu um em cada cinco chips

Luís Osvaldo Grossmann ... 08/02/2019 ... Convergência Digital

Com a perda de mais 7,2 milhões de chips em 2018, o mercado brasileiro de telefonia móvel chega ao quarto ano de ajuste tendo deixado para trás praticamente um quinto da base de assinantes que detinha em seu pico, em meados de 2015. Até aqui o saldo líquido é negativo em mais de 55 milhões de acessos, em um movimento que combina um empurrão regulatório com a troca da voz por dados.

No total, 2018 terminou com 229,2 milhões de chips ativos, contra mais de 284 milhões de maio de 2015. Naquele ano, o mercado começou a sentir os efeitos de uma decisão tomada pela Anatel dois anos antes, quando começou a forçar a queda da tarifa de interconexão – que muito alta, incentivava as ligações entre a mesma operadora e o uso de chips diferentes para cada caso.

Além de dispensar gradativamente os múltiplos chips, os brasileiros também começaram a migrar para planos melhores, em especial com tecnologia 4G, o que também marca a transição dos serviços focados em voz para os dados, com predominância dos smartphones e do LTE, que já representa 56% dos chips ativos. Ao mesmo tempo, os pós-pagos pularam de 28% para 43% do total.

O ajuste pegou todas as principais operadoras, ainda que em diferentes graus. A Vivo, que perdeu 1,7 milhão de chips em 2018, manteve-se líder com 73,1 milhão de linhas ativas, ou 31,9% do mercado. Claro e TIM seguem disputando o segundo lugar, com os mexicanos, que perderam 2,6 milhões de chips no ano, à frente com 56,4 milhões de acessos ativos, ou 24,6% do total.

A TIM, tendo perdido 2,7 milhões, terminou o ano na terceira posição, com 55,9 milhões de chips em serviço, e uma fatia de 24,3%. Atrás dela aparece a Oi, com 37,7 milhões de acessos ativos, o que representa 16,4% do mercado.  A operadora perdeu 1,2 milhão de chips ao longo de 2018.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Força-tarefa da Anatel interrompe 25 emissoras clandestinas em São Paulo

Operação estava interferindo no controle de tráfego aéreo do aeroporto de Guarulhos. Também foram desmantelados 20 pontos onde a energia elétrica que alimentava os equipamentos de transmissão era furtada, com apreensão de cerca de uma tonelada de cabos de energia, em conjunto com a distribuidora local.

Prazo para questionar serviço não contratado de telefonia é dez anos

Superior Tribunal de Justiça entendeu que se aplica o artigo 205 do Código Civil. Seguindo o voto do relator, ministro Og Fernandes, a Corte aplicou ao caso o entendimento que resultou na Súmula 412 para as tarifas de água e esgoto.

Juiz manda CVM investigar compra e venda de ações da Oi

O juiz Fernando Viana, da 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, afirma na ordem encaminhada à Autarquia Federal que é 'preciso que se tentha conhecimento de toda e qualquer forma de capitação especulativa".

Procon-SP multa Sky em R$ 2,9 milhões por publicidade enganosa

De acordo com o órgão de defesa do consumidor, a operadora também efetuou cobranças de taxas de licenciamento do software, segurança de acesso e de locação de ponto adicional que são ações proíbidas pela Anatel.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G