TELECOM

Anatel incluiu a faixa de 26GHz no leilão do 5G

Luís Osvaldo Grossmann ... 21/03/2019 ... Convergência Digital

A Anatel aprovou nesta quinta, 21/3, a agenda regulatória para o biênio 2019-2020. E no novo planejamento o conselho diretor ampliou a perspectiva de ofertas de radiofrequências no período, especialmente de olho na quinta geração da telefonia móvel.

Pela proposta, além das faixas de 700 MHz, 2,3 GHz e 3,5 GHz para o 5G, leilões com vistas à nova geração devem incluir também outras fatias do espectro: as faixas de 3,3 GHz e 3,4 GHz, além de 26 GHz. A expectativa da Anatel, vale lembrar, é que o primeiro leilão para o 5G aconteça em março de 2020, como antecipado pelo presidente da Agência Reguladora, Leonardo Morais, no MWC 2019, em Barcelona.

“Temos apenas 200 MHz no 3,5 GHz, que será a porta de entrada do 5G no Brasil. E surgiu no Comitê de Espectro e Órbita a proposta de uso das faixas de 3,3 GHz e 3,4 GHz e quem sabe a possibilidade de oferecer 300 MHz”, defendeu o presidente da Anatel, Leonardo de Morais.  O naco de 26 GHz – na prática entre 24,5 a 27,5 GHz – já vinha sendo colocada como a primeira opção da Anatel para uso de ondas milimétricas no 5G, alinhando-se com as discussões na Europa e na UIT.

A agenda foi aprovada com 50 iniciativas, sendo 32 delas sobras da agenda anterior, de 2017-2018, e 18 novas. Entre elas, o relator da proposição, Vicente Aquino Neto, defendeu uma revisão do regulamento dos Termos de Ajustamento de Conduta.

Também foi incluída a previsão de que a Anatel deverá se debruçar sobre a migração de concessões para autorizações de telefonia caso seja aprovado pelo Senado o projeto de lei (PLC 79/16) que muda o marco legal do setor de telecomunicações.

Além disso, foi colocada a possibilidade de a Anatel construir uma proposta de projeto de lei que reduza a zero a taxação do Fistel para a internet das coisas. “Caso seja aplicado Fistel sobre internet das coisas, esse ecossistema não se desenvolverá”, lembrou Leonardo de Morais.


Veja edição 12 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 12
Especial 20 Anos de Internet no Brasil


Há 20 anos os provedores de Internet escrevem suas histórias no País. A trajetória não foi nada fácil. Houve decisões políticas e econômicas significativas. Infraestrutura, modelo de negócios e fidelização de clientes foram relevantes no passado e continuam sendo no presente. Ao longo de duas décadas, os ISPs tiveram de se reinventar diversas vezes para não deixar de existir.

Clique aqui para ver outras edições

Começa a valer cadastro que bloqueia telemarketing das teles

A partir deste 16/7, será possível inscrever números no cadastro ‘Não Me Perturbe’. Promessa da Anatel é que em 30 dias os inscritos não receberão mais chamadas promocionais das operadoras de telecom.

Imposto zero para IoT está na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara

Deputado Federal, Paulo Ganime (Novo/RJ), diz que o projeto de Lei 7656/2017, corrige uma distorção - a cobrança de FISTEL para os dispositivos IoT.

Governo autoriza aumento de capital da Telebras de R$ 1,17 bilhão

Montante é reflexo dos aportes autorizados em 2015, 2016, 2017 e 2018, quando a estatal estava ainda em acerto financeiro do satélite geoestacionário de defesa e comunicações. 

Comissão aprova prazo de seis meses para instalação de bloqueador de celular em presídios

Relator do projeto retirou o dispositivo que condicionava as novas outorgas de telecomunicação à instalação, ao custeio e à manutenção dos bloqueadores pelas prestadoras.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G