NEGÓCIOS

Utilities correm para se adequar à LGPD, mas admitem falta de maturidade

Luis Osvaldo Grossmann e Pedro Costa ... 22/04/2019 ... Convergência Digital

Com a vigência formal da Lei Gera de Proteção de Dados (13.709/18) para junho de 2020 – a depender de como será a conversão em Lei da Medida Provisória 869/18 – as empresas correm para se ajustar às novas exigências. Mas faltam bons modelos a seguir, observou o superintendente de TI da Companhia Energética de Brasília, Carlos Monteiro.

O executivo participou de mesa redonda sobre o impacto da segurança da informação nos negócios das empresas e nas instituições governamentais, realizada pelo portal Convergência Digital, em parceria com a Unisys e a Dell EMC, em Brasília. “É um momento muito ‘legal’. São muitas regulações, a legislação que está entrando, a LGPD, regulações próprias das estatais. Isso exige que a gente repense nossos modelos de proteção de dados e priorize investimentos. Estamos olhando o mercado, nacional e internacional, buscando as melhores práticas”, diz.

“Estamos buscando benchmarks, mas ainda não conseguimos enxergar no mercado empresas que trabalham no setor de utilities que já estejam avançando. É uma corrida para atender os requisitos. Mas temos observado que mesmo consultorias ainda não têm maturidade”, acrescenta Carlos Monteiro. Segundo o superintendente de TI da CEB, é preciso maior compreensão sobre o que aponta como conceitos conflitantes.

“A gente tem buscado casos para que a gente possa aprender com eles para garantir que o ovo não fique mais caro que a gemada. Dinheiro é tudo. E a aplicação correta dos investimentos é a base da empresa. Por isso creio que o momento ainda é incipiente, de aprendizado, e acompanhando passos de empresas mais consolidadas.” Assistam a participação do superintendente de TI da Companhia Energética de Brasília, Carlos Monteiro.


Cloud Computing
Com quórum, CADE retoma processo milionário contra IBM por compra da Red Hat

Processo administrativo contra a IBM foi aberto no final de junho e multa pode chegar a R$ 60 milhões. IBM também enfrenta uma renegociação de contratos com o governo federal. Corte sugerido nos contratos é o mesmo da Microsoft: 35%.

Tecnologia da informação evita tombo maior do setor de serviços

Segundo o IBGE, apesar do desempenho ruim das telecomunicações, os serviços de TI exercem a principal contribuição positiva dos serviços no acumulado até agosto de 2019. 

Rio de Janeiro precisa deixar de exportar CPF e CNPJ

"O Rio é protagonista de geração de inteligência e, hoje, temos de nos desafiar para reter nossos talentos", afirma o coordenador do Rio Info 2019, Alberto Blois. A diversidade foi a 'cara' do evento em 2019.

Fusões e aquisições em TI remodelam o mercado interno

Pesquisa da KPMG mostra que, no primeiro semestre, aconteceram 61 operações de compra em TI no Brasil, sendo 39 domésticas, 18 aquisições por grupos estrangeiros e 4 empresas brasileiras comprando companhias estrangeiras.

BR Distribuidora: A TI não pode se esconder atrás dos processos para se defender

"A TI precisa entender que do jeito que era não funciona mais. Ela precisa se enxergar como parte integrante do negócio", diz o CIO da BR Distribuidora, Aspen Andersen.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G