Home - Convergência Digital

Um quarto dos programadores e desenvolvedores não tem curso superior

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 06/08/2019

A pesquisa Stack Overflow Developer Survey Results 2018 — que entrevistou mais de 100 mil desenvolvedores e programadores em 183 países — aponta que a maioria dos profissionais que atuam nessas posições (87%) aprende novas habilidades de maneira informal, principalmente via cursos online ou buscando informações por conta própria.

Investir em cursos de capacitação com foco nas tecnologias mais utilizadas atualmente é uma das saídas encontradas por profissionais que desejam trabalhar no setor — cujo número de vagas cresceu 300% no Brasil em fevereiro de 2019, segundo levantamento da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação do Paraná (Assespro/PR).

Eduardo Varela, CEO da Codenation, startup voltada para a educação tecnológica, salienta que segue o abismo entre o que o mercado precisa e o que é ensinado nos métodos tradicionais. "Essa distância é maior do que imaginávamos. É fundamental investir na capacitação profissional, para que as pessoas da área de desenvolvimento se mantenham atualizadas e aptas para atuar no mercado".

Um estudo realizado pela plataforma Love Mondays mostra que há empresas brasileiras dispensando a obrigatoriedade do diploma na hora de contratar. Segundo os gestores de RH entrevistados, essas organizações optaram pela não obrigatoriedade por fatores de diversidade e técnicos. A prática já é comum nos Estados Unidos. De acordo com a pesquisa realizada pelo Stack Overflow, um quarto dos programadores e desenvolvedores entrevistados não têm ensino superior completo.

A Supero, empresa catarinense de tecnologia, acredita que o caminho para a qualificação dos seus profissionais é investir em cursos internos e externos. Neste ano, a equipe já passou por treinamentos em UX, Docker, Itil e Machine Learning. Além de cursos de desenvolvimento de líderes e Agile Coach. No processo seletivo, candidatos sem diploma em um curso superior não são desclassificados.

"Avaliamos profissionais com perfis arrojados, flexíveis, entusiastas de tecnologia e com mindset ágil. Os profissionais de tecnologia de forma geral são bastante autodidatas e é isso que buscamos. Temos bons profissionais que ainda não finalizaram a graduação, assim como temos profissionais com MBA e mestrado. Nosso time é bastante mesclado", afirma Bárbara Vieira, coordenadora de Desenvolvimento Humano e Organizacional (DHO) da Supero. Hoje, dos 124 profissionais da empresa, cerca de 20% não concluíram a graduação.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

07/10/2019
Brasil soma 70 mil empresas voltadas para desenvolvimento e manutenção de software

01/10/2019
Maratona de Hackers no Rio terá competição internacional da NASA

12/09/2019
Startup promove maratona de capacitação em programação

23/08/2019
QuintoAndar e Codenation oferecem capacitação exclusiva para mulheres em programação

22/08/2019
Startups de Curitiba têm vagas para 150 programadores

19/08/2019
Ingram Micro distribuirá R$ 1 milhão para desenvolvedores de software

06/08/2019
Um quarto dos programadores e desenvolvedores não tem curso superior

30/07/2019
Programa Apple Developer Academy PUC-Rio oferece ensino gratuito e remuneração aos matriculados

19/06/2019
Escola de Tecnologia oferece 100 bolsas de estudo exclusivas para mulheres

22/05/2019
Empresa de software nacional busca desenvolvedores

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

Informação sigilosa pelo WhatsApp caracteriza justa causa para demissão

Mesmo com estabilidade provisória como cipeiros, Tribunal Superior do Trabalho deu validade à dispensa de três empregados que divulgaram nomes de futuros demitidos pelo app de mensagens. 

RH prioriza currículo e falha ao contratar profissionais de TI

Há uma distância grande do discurso adotado pelo RH com relação à tecnologia em relação à prática no dia a dia e a conversa entre a TI e o RH fica muito distante e gera ruído, observa a diretora da edtech Fábrica de Cursos, Sylvia Meirelles.

Automação e IA exigem que Brasil reeduque sete milhões em três anos

Estudo da IBM indica que o impacto das novas tecnologias no mercado de trabalho demanda qualificação imediata de 120 milhões nas maiores economias do mundo, mas o tempo de capacitaçao aumentou 10 vezes desde 2014. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site