Home - Convergência Digital

América Latina tem menos de 20% de espectro disponível para novos serviços móveis

Convergência Digital* - 23/08/2019

De acordo com o estudo produzido pela 5G Americas "Análise das Recomendações de Espectro da UIT para a América Latina", em 2019 os países da América Latina têm, em média, 378,6 MHz de espectro disponível para serviços móveis. Isso representa menos que 20% da capacidade sugerida pela União Internacional das Telecomunicações (UIT) para 2020.

Ao analisar dados disponíveis até o dia 15 de agosto, o relatório da 5G Americas revela que a média de espectro atualmente disponível para serviços móveis, 378,6 MHz, é equivalente a apenas 19,3% do volume sugerido pela UIT para 2020, que é 1.960 MHZ no cenário mais alto. O relatório considera apenas o espectro alocado para serviços móveis abaixo de 3 GHz.

O estudo mostra ainda que quantidade média de espectro liberado para redes móveis em 2019 é apenas 4% maior que a média de 2018. Por esse motivo, recomenda a liberação de mais espectro pelos governos da região para acompanhar a digitalização da sociedade.

O relatório prevê que, com a adoção de novas tecnologias, como a Internet das Coisas (IdC) aplicada em cidades inteligentes e a Indústria 4.0, os usuários, governos e empresas devem adotar serviços móveis em massa. Com essa demanda adicional, as redes móveis devem ser pressionadas e mais espectro será necessário para atender à demanda por novas conexões.

O levantamento informa que as licitações e leilões agendados para 2019-2020 (as datas variam por país) podem liberar até 7.092 MHz de espectro em toda a região. Essas licitações já incluem bandas que podem consolidar a 5G na América Latina, como 600 MHz, 2,5 GHz, 3,5 GHz, 26 GHz e 28 GHz.

Neste caso, reporta a 5G Americas, o desafio é de alocar capacidade para suportar o desenvolvimento das tecnologias 4G e 5G e também encontrar novos mecanismos que ajudam a reduzir a desigualdade digital. O estudo "Análise das Recomendações de Espectro da UIT para a América Latina" foi produzido pela 5G Americas e pode ser baixado aqui.
 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

02/07/2020
Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

02/07/2020
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

01/07/2020
ConectarAgro quer 13 milhões de hectares na área rural com conexão 4G até o fim de 2021

30/06/2020
Vivo e TIM avançam com OpenRAN para 'quebrar' concentração dos fornecedores

30/06/2020
Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

29/06/2020
Vodafone: 5G é o remédio para combater o impacto da Covid-19

25/06/2020
Covid-19 impôs revisão dos projetos 5G na América Latina

23/06/2020
Huawei: Brasil sempre teve um mercado aberto e justo no setor de TIC

19/06/2020
CEO da Algar: Banir fornecedor do 5G seria um tremendo equívoco

18/06/2020
Aumento de espectro para 5G está em consulta pública

Destaques
Destaques

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Oi Móvel terá um 'único' dono e Oi não se exclui do jogo do 5G

O CEO da Oi, Rodrigo Abreu, descartou a possibilidade de vender a Oi Móvel 'fatiada' para atender aos interessados: Vivo/TIM e Claro. "Sem chance. O ativo será vendido todo", disse. Sobre o 5G, diz que dependendo do modelo de venda, a Oi entra pensando em B2B, IoT e até para ser MVNO.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site