Convergência Digital - Home

Rio de Janeiro terá licitação de nuvem para dados abertos do Governo

Convergência Digital
Ana Paula Lobo e Pedro Costa, do Rio de Janeiro - 17/09/2019

O Ministério Público Federal do Rio de Janeiro criou um parque tecnológico e está à frente de uma licitação para o uso da computação em nuvem que ganhou musculatura com a adesão do governo do Estado.

"Lidamos com dados abertos e temos o compartilhamento do conhecimento com a integração do MPF, da receita federal, da secretaria da fazenda, do TCU, da Polícia Federal e, agora do Governo", antecipa em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, o procurador geral da Justiça do Rio de Janeiro, José Eduardo Gussem.

Gussem participou do painel Governo 4.0, no Rio Info 2019, que acontece essa semana, no Rio de Janeiro. O procurador informou ainda que a licitação acontecerá ainda este ano para que a nuvem possa funcionar já no começo de 2020.

"A ideia é disponibilizar o máximo de informações possível, já que trabalhamos com dados abertos. Nós vamos conectar objetos então é importante que o cidadão tenha informações transparentes também", diz Gussem, sem adiantar detalhes técnicos da concorrência que será feita.

Gussem fala ainda da preparação do MPF, por meio de um laboratório de Inovação, para a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. Assistam a entrevista com o procurardor José Eduardo Gussem.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Taesa faz transformação digital baseada em dados

Concessionária de energia impulsionou a transformação digital por meio de uma estratégia de gestão da tecnologia baseada em dados e integração.

Fleury cria empresa baseada em ciência de dados e inteligência artificial

Saúde ID funcionará como um marketplace de serviços ligados à saúde e recebeu investimentos de R$ 50 milhões. O paciente terá todas suas informações de saúde integradas em uma única plataforma, que poderá oferecer às empresas e operadoras um serviço com algoritítimos preditivos.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site