Convergência Digital - Home

Nutanix: hiperconvergência simplifica o modelo de serviço na nuvem

Convergência Digital
Por Roberta Prescott - 18/09/2019

A computação em nuvem revolucionou a infraestrutura de tecnologia e a adoção da hiperconvergência foi a base para começar a nuvem privada, explicou Leonel Oliveira, diretor-geral da Nutanix no Brasil, em entrevista ao Convergência Digital durante o Next On Tour, evento da Nutanix que ocorreu, esta semana, em São Paulo. "A hiperconvergência veio trazer a mesma base estrutural que a nuvem pública apresentou em caráter inicial para conseguir dar facilidade de usabilidade e a mesma característica da infraestrutura movida como serviço, fracionada, com somente aquilo que deseja e simplificação", explicou.

Ao comentar o estágio atual de adoção de múltiplas nuvens no Brasil, Oliveira disse que as empresas estão estudando o tema."Em um primeiro momento, a nuvem pública representou uma facilidade tão grande para todos que houve uma corrida para nuvem, sem, na verdade, entender quais eram os workloads apropriados para isto. Depois houve um amadurecimento e agora estamos em uma fase onde as empresas estão entendendo o posicionamento da nuvem pública, privada, híbrida e quais são as vantagens de ter a possibilidade de migração de uma nuvem para outra," detalhou. Para ele, o mercado caminha para ter mais liberdade de escolha, com os serviços disponíveis onde quer que estejam.

Fundada em 2009, a Nutanix completa uma década de operação — no Brasil, a empresa especializada em desenvolvimento de software para hiperconvergência atua desde 2015. Ao longo deste período, a empresa passou a focar somente em software, destacando-se no mercado de fornecimento de soluções de hiperconvergência. Hoje, 71% da receita da companhia vem do modelo de subscrição, que substituiu o licenciamento. Vejam a entrevista com Leonel Oliveira, diretor-geral da Nutanix no Brasil.


Destaques
Destaques

Banco Central afrouxa regras de contratação de serviços na nuvem pelos bancos

A partir de agora, os contratos de serviços na nuvem não precisam mais de autorização prévia, a não ser nos casos em que houver armazenamento de dados fora do Brasil em países sem convênio entre autoridades monetárias. 

Rio de Janeiro terá licitação de nuvem para dados abertos do Governo

Processo está sendo conduzido pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e ganhou 'musculatura' com a adesão do governo do Estado, revela o procurador geral da Justiça, José Eduardo Gussem.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site