NEGÓCIOS

Oi vira integradora nacional de serviços digitais de TI

Ana Paula Lobo ... 04/12/2019 ... Convergência Digital

O mercado corporativo se tornou estratégico no plano de futuro da Oi. A empresa, que hoje fatura cerca de 15% da receita do B2B com serviços de TI, se programa para ter 32% até 2024. O primeiro passo foi remodelar as ofertas e criar a Oi Soluções, que une um portfólio de segurança, internet das coisas, big data, analytics, cloud computing, data center e serviços gerenciados, além, é claro, dos serviços de dados e voz oriundos de telecomunicações.

O grande mote da nova estratégia é tornar a Oi na principal integradora de serviços digitais de TI no Brasil aproveitando as jornadas de transformação das companhias - vale lembrar que as PMEs não estão nessa estratégia, apenas as grandes companhias e o governo. "A Oi é a única operadora presente em mais de 2400 municípios. Temos de aproveitar esse diferencial com ofertas de TICs", afirmou a head da unidade Oi Soluções, Adriana Viali, durante o lançamendo da unidade de negócios, nesta quarta-feira,  04/12, em São Paulo, em um encontro que reuniu clientes, parceiros, fornecedores e imprensa.

"Não vamos a lugar nenhum com ofertas isoladas. O tempo do eu sozinho acabou. Temos de ter um ecossistema funcionando e é isso que estamos preparando com a Oi Soluções", respondeu Adriana Viali, ao ser indagada sobre a coopetição com tradicionais prestadoras de serviços de TI. "Certamente tenho de dizer que ser uma empresa 100% Telecom ficou no passado. Somos uma empresa de TICs", endereçou.

O fato de a Oi estar construindo um plano de reestruturação financeira e de negócio - com uma possível venda de ativos como o da operação móvel e a própria recuperação judicial - não é vista como um entrave na conquista dos clientes corporativos. "O fantasma da recuperação judicial já acabou. As empresas não me questionam sobre venda da Oi. Mas me exigem serviços de qualidade", afirmou Adriana Viali.

De acordo com a operadora, hoje, a companhia tem mais de 1.500 executivos para atender exclusivamente o segmento corporativo, sendo a carteira de clientes composta por 57 mil empresas dos mais variados setores. O primeiro serviço da Oi Soluções também foi apresentado. Trata-se do Gestão Digital 360º, composto por quatro módulos de gestão: Conectividade, Segurança, TI e Negócios, gerenciando ativos fornecidos pela própria Oi ou por outros provedores do mercado.

O diretor de Marketing da Oi Soluções, Rodrigo Shimuzu, explica que o serviço conta com três camadas: infraestrutura, porta de gerência integrada e serviços profissionais de mão de obra especializada. E foi adotado na própria Oi. "Através de uma gestão integrada da conectividade, segurança e infraestrutura de TI, obtivemos como resultado o aumento da disponibilidade dos sistemas de TI de 99,5% em 2017 para 99,92% em 2019, o que provocou uma verdadeira transformação em como gerimos nossos negócios", reforçou o executivo.

Ao ser questionada sobre a possível venda de ativos para a reconstrução financeira da Oi - como os seis data centers da companhia- Adriana Viali disse que a possível venda não muda os planos. "Ser data center próprio ou de terceiros não é a questão. O que queremos fazer de diferente é o serviço. Hoje nós já cuidamos de 720 petabytes trafegados nos nossos datacenters e mitigamos mais de seis terabytes de tráfego malicioso, o que não é um louvor, mas, sim, uma obrigação nossa. Impedimos que hackers atacassem nossos clientes e é o nosso trabalho", completou a head da Oi Soluções. Nos últimos três anos, a área B2B recebeu mais de R$ 1 bilhão da Oi.


Cloud Computing
Serpro vai oferecer Dados como Serviço ao Comando da Aeronáutica

Valor do serviço é de R$ 402 mil e tem validade de um ano e consiste na extração de dados brutos dos sistemas a serem compartilhados entre órgãos e entidades do Governo Federal.

Assespro promove o Censo do setor de TI edição 2019

Entidade conta com a colaboração das empresas do segmento para formular estratégias de desenvolvimento de novos negócios.

Brasil vai investir R$ 37,2 bilhões em TICs em 2020

Incertezas políticas e o baixo crescimento econômico não estão freando os aportes em TICs na América Latina e no Brasil, assegura a consultoria IDC. Maior parte dos aportes será feito em cloud, analytics, mobilidade e empreendimento social.

IBM: "Estamos sempre olhando para ativos no Brasil e no mundo"

"Qualquer aquisição passa pela autorização da matriz. Mas empresas interessantes são sempre analisadas", afirmou o presidente da IBM Brasil, Tonny Martins, ao ser indagado sobre a privatização das estatais de TI, Serpro e Dataprev, anunciada pelo Governo Bolsonaro.

TJ/SP autoriza Banco do Brasil a fechar contas-corrente da Mercado Bitcoin

Tribunal entendeu que não houve abuso de direito, nem indícios de violação à legislação concorrencial ou mesmo de ofensa à boa-fé por parte da instituição financeira com a corretora de criptomoedas.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G