INTERNET

Abratel pede regulamentação da oferta de audiovisual via internet

Luís Osvaldo Grossmann ... 17/02/2020 ... Convergência Digital

A Abratel, entidade que representa emissoras de rádio e TV como Record e RedeTV, apresentou nesta segunda, 17/2, um pedido para que a Anatel apresente posicionamento sobre a regulamentação do Serviço de Valor Adicionado, no entendimento de que é preciso regulamentar a atividade de oferta de conteúdo linear pela internet. 

“É necessário estabelecer normas capazes de assegurar maior simetria regulatória ante o atual contexto tecnológico, preservando o conteúdo propagado pelas emissoras do serviço de radiodifusão de sons e imagens, adaptando-a à realidade tecnológica atual. [A] disponibilização de canais lineares por streaming se iguala em tudo ao que é oferecido pelas prestadoras do Serviço de Acesso Condicionado, contudo, enquanto as segundas têm que cumprir obrigações previstas na Lei no 12.485/2011, as empresas de internet não teriam nenhuma das obrigações previstas na citada lei”, alega a Abratel.

Segundo a entidade, a agência deve negar o pleito da Fox, que disparou uma discussão sobre o tema na Anatel e no Congresso Nacional. Provocada pela Claro, a Anatel baixou uma cautelar proibindo a oferta de canais lineares no pacote Fox+, mas a empresa conseguiu uma liminar na Justiça que a permite manter a oferta do serviço via assinatura. 

A posição da Anatel é de que a oferta, embora pela internet, deve se dar nos moldes da Lei da TV paga, a Lei 12.485/11, mencionada pela Abratel. E o que a entidade defende é que o órgão regulador instrumentalize a discussão aberta no Congresso Nacional, na qual existe a possibilidade de manter a internet de fora das obrigações que devem ser cumpridas pelas operadoras tradicionais de TV por assinatura – como as cotas de programação nacional. 

“É essencial uma análise sobre as garantias constitucionais e os encargos a serem obedecidos pelas empresas envolvidas, e a realização de estudo de impacto regulatório técnico e econômico sobre os efeitos que essa disponibilização pelo SVA poderá ocasionar nos serviços já consolidados e ofertados à população”, diz o pedido da Abratel. Para a associação “embora sejam ofertados por tecnologias distintas, os serviços são semelhantes”. 

E conclui que “o acatamento das razões da Fox, pura e simplesmente como se coloca, além de um grande desarranjo regulatório entre as empresas de telecomunicações e as empresas de internet, traria condições totalmente não isonômicas para o mesmo serviço”. 


Revista Abranet 31 . maio-julho 2020
Veja a Revista Abranet nº 31
A pandemia da Covid-19 fez a rotina mudar num piscar de olhos. E coube à internet mostrar a sua força. O aumento significativo do tráfego de dados por conta do teletrabalho e do isolamento social foi uma realidade assustadora. Veja a revista completa.
Clique aqui para ver outras edições

Fake News: Sai versão em português de chatbot gratuito de verificação para o WhatsApp

Pelo chatbot da International Fact-Checking Network, usuários do OTT podem verificar se informações específicas que receberam sobre a COVID-19 já foram classificadas como "falsas", "parcialmente falsas", "enganosas" ou "sem evidência" por verificadores profissionais.

Comércio pela internet dispara e movimenta 12% das vendas no Brasil

Segundo pesquisa da Camara-e.net e da Compre & Confie, vendas em junho foram 110% superiores há um ano. Alta no semestre beira os 60%. 

Slack acusa Microsoft de impor o Teams vinculado ao Office

OTT alega que a empresa norte-americana está vinculando o Teams ao Office para forçar a aceitação do produto, que disputa espaço com o Slack e com o Zoom nessa era de pandemia.

Justiça ordena Google a reativar sites da prefeitura de Poços de Caldas

Justiça exigiu ainda os e-mails aos quais os sites do Município excluídos no início de julho estavam vinculados, a data e hora da exclusão, bem como endereço IP de quem foi responsável pelo ato.

Fake News: Artigo 10 é ineficaz e traz impacto negativo para privacidade

No primeiro debate realizado na Câmara dos Deputados para discutir o PL 2630, aprovado no Senado, especialistas advertiram: remédio demais pode virar veneno.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G