INOVAÇÃO

Brasil é mercado-chave para venture capital da Telefónica

Convergência Digital* ... 09/03/2020 ... Convergência Digital

A Telefónica reposicionou a sua estratégia de investimento em fundos de venture capital e anuncia novos aportes em mercados-chave para a companhia: Espanha, Estados Unidos, no Vale do Silício (Alter Venture Partners), Israel (Vintage Investment Partners) e Brasil. No país, o investimento será realizado no fundo da Redpoint eventures, gestora de venture capital que investe em startups de tecnologia na América Latina. O objetivo é investir em empresas que gerem mais retorno e impacto para o grupo de telefonia, seja com tecnologias inovadoras para aumento de receita com novos produtos ou para melhorar a eficiência interna, como um fornecedor.

Os investimentos em fundos são feitos por meio do Telefónica Innovation Ventures, veículo de corporate venture capital da Telefónica que também investe diretamente em startups. Os aportes diretos acontecem desde 2007 e o portfólio atual possui 10 startups dos EUA, Espanha, Canadá, Israel e França. Já as parcerias com gestoras de fundos são desde 2012 e acumulam mais de 80 startups investidas em 12 fundos, incluindo dois da InvestTech no Brasil.

"A nova estratégia é uma evolução da primeira geração de fundos, Amérigo (2012-2018), cujo objetivo era fomentar os ecossistemas de inovação da Espanha e América Latina. Agora, o foco principal é dar suporte às principais áreas da operadora", explica Guenia Gawendo, diretora global do Telefónica Innovation Ventures.

De acordo com a executiva, as gestoras parceiras trabalharão junto com equipes locais da operadora e/ou da Wayra, hub de inovação aberta do grupo Telefónica, para buscar e integrar startups que façam sentido na cadeia de valor da companhia. "As startups nos trazem tecnologia, novos produtos e serviços para nos diferenciar, além de contribuírem na agilidade de lançamentos ao mercado", completa Guenia.

As áreas prioritárias são digital consumer, transformação digital, redes 5G e as próximas gerações, cibersegurança, nuvem, inteligência artificial, IoT, Blockchain, Fintech entre outras.

"Estamos animados com o fortalecimento de nossa parceria com a Telefónica/Vivo. Além do pioneirismo global da companhia em iniciativas de inovação e colaboração com o ecossistema de startups, a Telefónica é conhecida por ser referência, desde a época em que comecei a trabalhar no setor de venture capital há 17 anos. É um prazer e um privilégio tê-los como um de nossos investidores. Existe uma oportunidade enorme para explorarmos juntos", afirma Anderson Thees, Managing Partner da Redpoint eventures.

Wayra Brasil dobra o ticket e investirá até R$ 1 milhão por startup
Como parte da estratégia global em open innovation da Telefónica, a Wayra dobra o valor dos aportes e passa a investir até R$ 1 milhão (250 mil euros) por startup. Os investimentos acontecem durante o ano todo, sem períodos específicos para inscrição, que pode ser feita a qualquer momento pelo site.

"Essa nova estratégia reforça o interesse da Telefónica em inovar com a colaboração externa e também o quanto acreditamos no potencial do ecossistema brasileiro. Trabalharemos ainda mais próximos da Redpoint para identificar as startups com grande potencial para fazer negócios com o grupo, além de oportunidades de coinvestimentos e investimentos em rodadas subsequentes", comenta Renato Valente, diretor de inovação aberta da Telefónica e country manager da Wayra no Brasil.

A Wayra atua no ecossistema de empreendedorismo como um micro Corporate Venture Capital, ou seja, um fundo de investimento corporativo de capital semente. As áreas mais buscadas são de Data Analytics/Big Data, Inteligência Artificial, Cibersegurança, IoT, Realidade Virtual e Aumentada, além de fintechs, agtechs e edtechs.

Para conhecer todas as empresas do portfólio atual, acesse http://br-pt.wayra.com/startups.


Cloud Computing
FGV oferece curso online gratuito de Ciências de Dados

Com duração de 60 horas, as aulas são baseadas em língua inglesa. A instituição oferece outros 85 cursos gratuitos durante a pandemia de Covid-19, entre eles, Gestão de TI nos negócios.

Pesquisa de inovação mostra investimento baixo e falta de política pública

Segundo o IBGE, as empresas inovadoras do Brasil investiram menos de 2% da receita em P&D. “A agenda de inovação é urgente e deveria ser prioridade”, aponta a Confederação Nacional da Indústria. 

Laura, a IA nacional que já salvou 12 mil vidas, entra no combate ao Coronavírus

Tecnologia será disseminada em todo o Brasil, depois de um acordo com o governo federal. Em setembro do ano passado, no Rio Info 2019, o Convergência Digital entrevistou um dos idealizadores da Laura.

Brasil precisa formar massa crítica de empreendedores para inovação

A posição é defendida pelo CEO da Fábrica de Startups, Hector Simões, que tem como meta se tornar o maior hub de inovação do Rio de Janeiro.

Investimentos em fintechs disparam para R$ 7,6 bilhões no Brasil

Aportes triplicaram puxados pela injeção de R$ 1,9 bilhão no Nubank e R$ 1,6 bilhão no Banco Inter.  Brasil ocupa o quinto lugar entre os maiores centros de captação de fundos de fintechs no mundo.

Governo seleciona entidades para compor GT de propriedade intelectual

Grupo Interministerial de Propriedade Intelectual, originalmente parte da Camex e agora sob tutela do Ministério da Economia, terá 10 representantes da sociedade civil. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G