Home - Convergência Digital

Ferramentas móveis chegarão a 1/3 dos funcionários do Brasil

Convergência Digital - Carreira
Da redação - 11/05/2015

As vendas de tablets, smartphones e computadores somados representarão 45% dos investimentos em TI no Brasil, em 2015, revela estudo da ABES - Associação Brasileira de Software. Ainda de acordo com o estudo, a receita total com serviços de telecom, que incluem soluções móveis e custos de profissionais para redes corporativas, alcançará US$ 104 bilhões este ano.

De acordo com levantamento da entidade, o uso de ferramentas móveis chegará a 1/3 dos funcionários de empresas médias e grandes ao longo de 2015. A pesquisa aponta que o número de computadores instalados no Brasil chegou a 69,9 milhões, em 2014. O Mercado Brasileiro de TI também contava com 120 milhões de usuários de Internet no ano passado. E nesse cenário, a Internet das coisas ganha visibilidade. Segundo o estudo, o Brasil terá mais de 130 milhões de objetos conectados em 2015, representando 50% da América Latina.

A pesquisa apura ainda que a Indústria Brasileira de TI está posicionada em 7º lugar no ranking mundial, com um investimento de US$ 60 bilhões, em 2014. Se considerarmos somente o setor de Software e Serviços de TI, sem exportações, o montante somou US$ 25,2 bilhões no ano passado. O estudo aponta que o Brasil está posicionado em 1º lugar no ranking de investimentos no setor de TI na América Latina, com 46% desse mercado que, em 2014, somou US$ 128 bilhões. Ao considerar isoladamente o Mercado de Software, o faturamento atingiu no ano passado a marca de US$ 11,2 bilhões, sem exportações. Já o Mercado de Serviços registrou valor na ordem de US$ 14 bilhões em 2014.

*Fonte: ABES



Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

18/10/2019
Autoridade de Dados vai ser a fiscal do compartilhamento de dados do Governo

18/10/2019
Transformação digital não é levar aplicação para nuvem ou usar um chatbot

18/10/2019
Advogados sozinhos não garantem o sucesso da implantação da LGPD

17/10/2019
Victor, a IA do STF, reduziu tempo de tarefa de 44 minutos para cinco segundos

16/10/2019
Insegurança jurídica afasta investidor de software no Brasil

16/10/2019
Falta estratégia no Brasil para qualificar pessoas em Tecnologia

15/10/2019
Desconexão entre Academia, governo e empresas trava inovação no Brasil

15/10/2019
Brasil precisa pensar global e apostar na diversidade para aparecer na Inovação

14/10/2019
Lixo eletrônico: apenas 22% dos municípios têm coleta seletiva

14/10/2019
Singularity University: "O que se faz hoje não fará nenhum sentido na próxima década"

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site