INTERNET

Cantora Rosana perde ação contra Wikipedia por divulgação de dados pessoais

Luís Osvaldo Grossmann ... 19/09/2016 ... Convergência Digital

A Justiça do Rio de Janeiro rejeitou um pedido da cantora Rosana ‘Como uma deusa’ Fienngo que queria indenização da Wikipedia por ter divulgado informações pessoais a seu respeito na página sobre a artista dentro da ‘enciclopédia’ online. 

A cantora, que primeiro processou a Google por achar que a empresa seria dona da Wikipedia, alegou que “em abril de 2013 teve ciência de sua suposta biografia lançada no site da ré, refletindo de modo negativo sua imagem e violando direitos da sua personalidade”. Sustentou Rosana que a página continha “dados inverídicos [que] seriam data de nascimento, local onde residiu e outros”. 

Em princípio, a Wikipedia retirou as informações da página sob a ameaça de pagar multa diária, como previa liminar de novembro de 2014 – a Wikimedia Foundation diz que por ter sido de início um processo contra a Google, só soube quando a cautelar foi expedida. Em nota nesta segunda, 19/9, a empresa festeja a vitória no mérito – a decisão foi de 5/9 último. 

Rosana, agora com nome público de Rosanah Fienngo, reclamou da divulgação de informações pessoais, como a idade – a Wikipedia diz que ela nasceu em 1954, a cantora diz que foi em 1968 – ou ainda sobre a perda de um filho durante a gravidez, em 1994. No Judiciário, pediu indenização de 150 salários mínimos, ou R$ 132 mil. 

A Wikipedia, no entanto, “alegou que o artigo havia sido escrito a partir de informações que já se encontravam disponíveis online ao público, inclusive declarações que a Sra. Fienngo havia feito em entrevistas publicadas.” Em particular, uma entrevista da cantora ao site ‘O Fuxico’, em 2011. Quanto à idade, a Wikipedia alegou ter se baseado em documentos junto ao TSE, de quando Rosana tentou se eleger vereadora no Rio, pelo PCdoB (teve 319 votos).

Para a juíza Raquel de Oliveira, titular da 6a Vara do RJ, “não assiste razão à autora, porque os fatos destacados por ela como inverídicos e publicados no site da 1a ré em 2013, foram obtidos de declarações da própria em entrevista ao site ‘O Fuxico’, concluindo-se, portanto, que as informações por ela concedidas, apesar de possuírem cunho privado, foram expostas pela própria já no ano de 2011.” 


Abrafix vai ao STF contra Lei do Rio de Janeiro sobre interrupção de telefone e internet

A Associação Brasileira de Concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix) ajuizou ação contra a Lei 8.099/2018, que obriga as concessionárias de serviços públicos essenciais a informar em tempo real a interrupção de seus serviços. Entidade ressalta que a competência para legislar sobre telecom é da União.

STJ decide que é ilegal cobrar taxa de conveniência para ingressos online

Julgamento da 3ª turma do Superior Tribunal de Justiça tem validade em todo o território nacional.

PayPal quer ter voz de comando no Mercado Livre

Empresa norte-americana quer comprar US$ 750 milhões em ações ordinárias do empresa de comércio eletrônico, que quer receber um aporte de US$ 1 bilhão para 'expandir a plataforma de comércio eletrônico'.

Candidata presidencial nos EUA quer tirar poder da Amazon, Google e Facebook

Senadora do partido Democrata por Massachusetts, e em campanha para enfrentar Donald Trump no ano que vem, Elizabeth Warren defende transformar as grandes plataformas da internet em “utilities” e  desfazer fusões e compras.

Fibra óptica já atende 18% das conexões fixas à internet

Segundo balanço da Anatel, janeiro de 2019 terminou com 31 milhões de acessos ativos de banda larga. Em 2018, fibra quase dobrou. Erro nos números da Tim influenciou resultado geral.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G