GOVERNO » Compras Governamentais

Governo avalia compra de Banco de Talentos para cadastrar servidores

Luís Osvaldo Grossmann* ... 03/05/2017 ... Convergência Digital

A Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento abriu consulta pública para receber sugestões sobre a compra ou desenvolvimento de uma solução de gestão curricular, também conhecida como Banco de Talentos.

O objetivo é identificar em organizações públicas e privadas, no Brasil e no exterior, solução informatizada já implantada ou em fase de implantação, que possa ser utilizada de maneira integrada pelo Ministério do Planejamento e por todos os órgãos do Poder Executivo Federal.

Segundo a secretaria, o Banco de Talentos será ferramenta de apoio à gestão de pessoal no serviço público federal. Possibilitará o cadastramento da formação e da experiência do servidor visando alocação mais precisa, eficiente e tempestiva da força de trabalho. 

A consulta está aberta às sugestões no site Participa.br até sexta, 5/5. Mas os mencionados “requisitos desejáveis para o Banco de Talentos do Governo Federal” só foram disponibilizados nesta quarta, 3/5. Aberta desde 28/4, a consulta já teve 105 acessos, mas ainda nenhum comentário. 

Os requisitos desejáveis da solução, conforme a Seretaria de Gestão, são: 

1) Requisitos tecnológicos desejáveis

1.1) Possibilidade de uso em nuvem por todos os servidores públicos do Poder Executivo federal.

1.2) Compatibilidade de acesso a partir dos principais navegadores de mercado (Chrome, Firefox, Internet Explorer, Safari e Edge)

1.3) Aplicação acessível a partir de desktop, mobile e tablet mantendo a mesma experiência tanto de usabilidade como de funcionalidade, ou seja, recursos de responsividade.

1.4) Possibilidade de integração com o sistema SIGEPE - Sistema de Gestão de Pessoas da Administração Pública Federal.

1.5) Possibilidade de integração com o SIGAC - Sistema de Gestão de Acesso ao SIGEPE.

1.6) Atendimento a critérios de segurança da informação.

1.7) Aderência ao modelo de acessibilidade em Governo Eletrônico (eMAG)

1.8) Adequação da identidade visual da solução de forma simples, atendendo aos padrões definidos para os sistemas da administração pública.

2) Requisitos funcionais desejáveis

2.1) Cadastramento, pelo próprio servidor, de experiências profissionais, competências, cursos realizados, certificados obtidos, dentre outras informações habitualmente presentes em currículos.

2.2) Divulgação de vagas / oportunidades.

2.3) Visualização de currículos por quaisquer usuários cadastrados.

2.4) Busca de oportunidades por quaisquer usuários cadastrados.

2.5) Busca de perfis profissionais por meio da utilização de filtros.

2.6) Controle de acesso diferenciado, permitindo a identificação de papeis distintos entre administradores do sistema, gestores do negócio e usuários.

2.7) Controle de permissões de visualização das informações (público / somente rede de relacionamentos, etc.).

2.8) Possibilidade de criação, manutenção e sugestão de rede de relacionamentos.

2.9) Ferramenta de comunicação entre os usuários.

2.10) Mecanismo de notificação dos usuários.

2.11) Canal de notícias.

2.12) Possibilidade de “assinatura’ para recebimento das notícias de interesse.

2.13) Gestão / publicação de notícias por áreas de interesse.

2.14) Integração automatizada com site de notícias.

2.15) Ferramenta de busca (notícias, vagas, perfis, órgãos, etc.).

* Com informações do Ministério do Planejamento
** Atualizada às 16h30 de 3/5 para inclusão dos requisitos desejáveis

Órgãos públicos do Executivo estão proibidos de exigir CPF e CNPJ

Medida impõe o compartilhamento de dados sem nenhuma regra de cuidado com as informações. Portaria proíbe a exigência ainda de certidões de débitos tributários e dívida ativa e certidão de quitação eleitoral.

Serpro repudia acusação de venda de dados pessoais

Estatal diz nunca ter repassado conteúdo ao site 'Consulta Pública', 'congelado' por uma ação do MPF do Distrito Federal. Sustenta ainda que não vende 'secretamente' dados de pessoas naturais ou jurídicas.

Apps de e-gov não pedem consentimento e coletam mais dados do que precisam

Segundo estudo do InternetLab com aplicativos federais e de São Paulo, nenhum dos aplicativos pede consentimento expresso e metade não possui qualquer política de privacidade.

Anac autoriza Secretaria de Patrimônio da União usar drones para fiscalização

Licitação para a compra de equipamentos pelo governo deverá acontecer a partir do final de maio. Drones vão ser usados para fiscalizar uso irregular de áreas de praia, margens de rios, terrenos de marinha e espelhos d'água, dentre outros bens públicos de propriedade da União.

CDES quer prioridade para proteção de dados e transformação digital

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) recomendou ao governo que garanta dotação orçamentária adequada e mecanismos de acompanhamento da digitalização do setor público.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G