Convergência Digital - Home

Open Stack conquista o coração e o bolso das corporações

Convergência Digital
Convergência Digital* - 12/06/2017

Realizada com representantes dos segmentos de finanças, indústria, serviços, recursos naturais, saúde, telecomunicações, comércio, governo e educação, a pesquisa “Perspectivas de Cloud e Open Source na América Latina”, contratada pela Red Hat à IDC América Latina, revela um dado curioso quanto à utilização de software: mais de 70% das empresas ouvidas usam algum software open source – principalmente para o desenvolvimento de banco de dados, aplicativos, plataformas web e sistemas operacionais – e 8% estão prestes a implantar a tecnologia em suas companhias.

Segundo o gerente do Programa de Serviços de Tecnologia da Informação do IDC, Waldemar Shuster, os três principais motivos para a adoção do modelo são redução de custos (52%), independência de provedor (46%) e capacidade de personalizar o código-fonte para desenvolver aplicativos (41%). “Ao optar pelo open source, a maioria das empresas busca diminuir os gastos com melhoria da infraestrutura, uma maneira de se adequar à transformação digital”, resume.

Sobre o armazenamento de informações na nuvem, a pesquisa identificou que mais da metade das empresas (52%) usam cloud pública ou privada, com investimento de 27% do orçamento total. As estratégias estão concentradas no "Tudo na cloud" (Cloud First) ou "Cloud em toda a empresa" (uso difundido). Os maiores benefícios são observados nas áreas de TI, vendas e marketing, e administração e finanças, principalmente em aplicações comerciais.

No caso do OpenStack, 51% das empresas confiam no sistema operacional na nuvem para ter vantagens competitivas quanto à infraestrutura, acelerar a capacidade de inovação e ter maior eficiência operacional. As ferramentas mais conhecidas são PHP- Opencloud (63%), Wrote your own (37%) e OpenStack Client (34%).

“Os resultados do estudo nos ajudarão a entender a maneira como as empresas estão empreendendo a transformação de seu modelo de consumo de CAPEX para OPEX. E também nos ajudarão a compreender o que motivou as organizações a atribuírem menos orçamento anual em serviços de TI, hardware e software tradicionais, porém incrementarem os recursos para contratar serviços em cloud em 2017. Tudo isso é uma oportunidade de estimular o open source e o OpenStack na América Latina”, anuncia a Red Hat.

 Com a maior representatividade da pesquisa (34%), seguido de México (14%), Colômbia (17%), Chile (13%), Peru (12%) e Argentina (11%), o Brasil foge dos dados globais por apresentar a maior porcentagem de adoção do open source: 73%. Mas a aceitação do modelo de software entre as empresas brasileiras é ainda maior, pois 7% estão testando a implantação, 7% estão testando e tendem a implantar e 5% pensam em realizar a implantação nos próximos 12 meses.

Os principais desafios para a adoção do modelo, segundo as companhias ouvidas, seriam a sustentabilidade do projeto em longo prazo (62%), a incerteza com relação ao suporte do provedor (51%) e a falta de recursos especializados (47%). Já a adoção do cloud computing segue três critérios: casos de sucesso regionais ou locais (71%); conhecimento, recursos e experiências (67%) e preço (49%). Os maiores benefícios da tecnologia nos próximos três anos são esperados nos setores de finanças e contabilidade (51%); atendimento a clientes e marketing (47%) e recursos humanos (42%). O estudo foi feito com 178 empresas da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru entre fevereiro e março de 2017.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

Destaques
Destaques

Dataprev e Serpro vão prestar serviço pela nuvem pública

Objetivo é atender de forma unificada demandas distintas dos órgãos públicos. Empresas vão integrar orquestradores e planejam contratar serviços da Amazon, Google e Azure.

Mercado de computação em nuvem foi de R$ 2,25 bilhões no Brasil

Estudo da ABES mostra que o segmento registrou uma expansão de 47,4% em 2016, tendo como base os dois principais serviços - Software como Serviço (SaaS) e PaaS (plataforma como Serviço). O segmento de análise de dados faturou US$ 809 milhões



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Empresas de TI ou organizações dependentes dela?

Por Paulo de Godoy*

Considerada parte do ‘guarda-chuva’ da Inteligência Artificial, a Machine Learning vem crescendo e ganhando força à medida que o volume de dados explode.

Criando uma arquitetura analítica para o futuro

Por Stephen Rigo*

O custo de não ter a arquitetura analítica adequada é alto, já que esse fator pode gerar problemas de incompatibilidade, governança, segurança, falta de acordos de nível de serviço, escalabilidade e problemas de extensibilidade.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site