Home - Convergência Digital

Teles e empresas de TI defendem aprovação da reforma trabalhista

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 14/06/2017

Entidades que representam as operadoras de telecomunicações, empresas de TI e de terceirização de instaladores voltaram a defender, em nota divulgada nesta quarta, 14/6, a aprovação do projeto de lei que altera a legislação trabalhista, já aprovado pela Câmara e que no Senado tramita como PLC 38/17. 

Segundo as entidades patronais, a aprovação em nova lei “provocará o aumento da produção, com ganhos de produtividade e aumento de investimentos na economia real”, o que trará “postos de trabalho qualificados”.

“As empresas e trabalhadores dos setores de informática e telecomunicações, por suas características de inovação e elevada atualização tecnológica, são parte de um ecossistema que precisa dessa modernização das relações do trabalho”, diz a nota, a seguir na íntegra: 

A Federação Brasileira de Telecomunicações (Febratel), a Federação Nacional das Empresas de Informática (Fenainfo) e a Federação Nacional de Instalação e Manutenção de Infraestrutura de Redes de Telecomunicações e de Informática (Feninfra) vêm a público ressaltar a importância de se aprovar no Congresso Nacional o projeto de lei da reforma trabalhista (PLC 38/17), em tramitação no Senado Federal.

As três Federações representam cerca de 80 mil empresas que empregam mais de 2 milhões de trabalhadores qualificados. São setores essenciais para a produção e distribuição da riqueza nacional na moderna economia digital, que produzem R$ 400 bilhões por ano, valor equivalente a cerca de 6,5% do PIB.

A modernização das relações de trabalho proposta no PLC 38/17 provocará o aumento da produção, com ganhos de produtividade e aumento de investimentos na economia real. Isso resultará, consequentemente, em geração de postos de trabalho qualificados e aumento da utilização de seus serviços por toda a sociedade.

As empresas e trabalhadores dos setores de informática e telecomunicações, por suas características de inovação e elevada atualização tecnológica, são parte de um ecossistema que precisa dessa modernização das relações do trabalho.

As federações - Febratel, Fenainfo e Feninfra - esperam que o projeto de lei da reforma trabalhista seja aprovado no Senado, visando à retomada do processo de desenvolvimento nacional e de modernização, essencial para acelerar a massificação do acesso a conteúdos e serviços digitais em escala global pelos brasileiros.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

19/10/2017
Acordo no Senado prevê votação da Lei do Uber em 24 de outubro

28/09/2017
No Senado, teles voltam a pedir mudanças na legislação do setor

26/09/2017
Senado muda texto da Câmara e tem novo projeto para Uber e similares

22/09/2017
Governo: Internet das Coisas não acontecerá sem Telecomunicações no Brasil

22/09/2017
Lei trabalhista: terceirização da mão de obra segue como prática ilícita

22/09/2017
Brasil precisa investir R$ 200 bi para expandir a banda larga

22/09/2017
Cidade Digital terá prioridade de investimentos no plano de conectividade

21/09/2017
Claro Brasil: Modelo é o culpado pelo fracasso da interiorização da banda larga

21/09/2017
TIM Brasil: Sem aumento da receita, não há como ampliar os investimentos

21/09/2017
O PL 79 é uma correção de rumo. A hora é de desconstruir o setor

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Quatro lições para dar coragem e autonomia às pessoas

Por Amanda Matos Cavalcante*

As pessoas são os principais e mais importantes ativos de uma corporação.

Destaques
Destaques

Profissional do futuro é um análogo do canivete suíço

Esse especialista terá de reunir capacidades polivalentes, diz o consultor Marcos Semola. O especialista também decreta: O RH que pensa na caixinha está morto.

Reforma trabalhista: Não haverá contrato novo ou velho

“Se não, muitos empresários poderiam dispensar os trabalhadores da ‘lei velha’ e contratar outros com contrato novo, pela ‘lei nova’. Para não haver esse perigo, a lei aplica-se a todos os contratos em vigor no Brasil”, explica o Juiz do Trabalho, Marlos Melek.

BI, big data e cientista de dados: salários entre R$ 12 mil a R$ 30 mil no Brasil

Pesquisa revela que corporações brasileiras buscam especialistas nessas áreas para conduzir seus negócios.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site