Convergência Digital - Home

Multicloud da Vivo chega ao Brasil ainda em 2017

Convergência Digital
Ana Paula Lobo e Rodrigo dos Santos - 16/06/2017

Com o lançamento do Vivo Cloud Plus, um portal de autosserviço para a aquisição de nuvem híbrida, a Vivo quer ir além no processo de virtualização, explica o gerente de cloud da operadora, Sandro Bertelli. Segundo ele, quando se discute virtualização hoje não se pensa apenas nos servidores, mas em todas as camadas de infraestrutura, entre eles, rede, storage e até mesmo na aplicação.

"Ter todo esse processo virtualizado é uma das funções do data center definido por software", afirma Bertelli. Indagado sobre o multicloud, o gerente da Vivo afirma que essa é a próxima onda do mercado de cloud computing.

Mas adverte: multicloud não é apenas desenvolver aplicações para nuvem pública ou privada. Mas, sim, viabilizar uma integração, com serviços como cobrança (billing) comum. A Telefônica/Vivo está em fase final de desenvolvimento de uma solução global e deverá apresenta-la ao mercado ainda em 2017. Assistam a entrevista com Sandro Bertelli, da Vivo.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

Destaques
Destaques

Dataprev e Serpro vão prestar serviço pela nuvem pública

Objetivo é atender de forma unificada demandas distintas dos órgãos públicos. Empresas vão integrar orquestradores e planejam contratar serviços da Amazon, Google e Azure.

Mercado de computação em nuvem foi de R$ 2,25 bilhões no Brasil

Estudo da ABES mostra que o segmento registrou uma expansão de 47,4% em 2016, tendo como base os dois principais serviços - Software como Serviço (SaaS) e PaaS (plataforma como Serviço). O segmento de análise de dados faturou US$ 809 milhões



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Empresas de TI ou organizações dependentes dela?

Por Paulo de Godoy*

Considerada parte do ‘guarda-chuva’ da Inteligência Artificial, a Machine Learning vem crescendo e ganhando força à medida que o volume de dados explode.

Criando uma arquitetura analítica para o futuro

Por Stephen Rigo*

O custo de não ter a arquitetura analítica adequada é alto, já que esse fator pode gerar problemas de incompatibilidade, governança, segurança, falta de acordos de nível de serviço, escalabilidade e problemas de extensibilidade.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site