Convergência Digital - Home

Dell EMC: Não existe software sem hardware na era digital

Convergência Digital
Roberta Prescott - 13/07/2017

Com o software está ocupando cada vez mais espaço na arquitetura e na infraestrutura de TI, qual é o papel do hardware? Eles podem perder espaço? A CDTV, do portal Convergência Digital, fez esta pergunta para Raymundo Peixoto, vice-presidente de vendas de soluções de servidores e networking da Dell EMC América Latina, durante coletiva de imprensa do lançamento dos servidores PowerEdge 14G, nesta quinta-feira 13/7.

Para o executivo, o hardware segue relevante e tem papel fundamental de habilitar as características do software. Na entrevista, o executivo também comentou como está o mercado de servidores hiperconvergentes no Brasil e os impactos da mudança para tudo definido por software e soluções hiperconvergentes para o profissional de TI. Assistam.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis


Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.

Destaques
Destaques

Multicloud é a estrela do orçamento na TI

Estudo da Red Hat, feito com 400 clientes, em 47 países, mostra, no entanto, que um terço delas não indicou uma política efetiva de uso de cloud.

Quase metade das empresas brasileiras não virtualizou storage, backup e proteção de dados

É inevitável mexer no sistema legado atual para acelerar a jornada para a transformação digital, revela levantamento da IDC Brasil, contratado pela Dell.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Mão de obra é o "Calcanhar de Aquiles" da Inteligência Artificial

Por Eduardo Prado*

Em artigo exclusivo para o Convergência Digital, o consultor Eduardo Prado, mostra como os gigantes da tecnologia travam uma dura batalha para conseguir fidelizar os especialistas existentes. Ele também adverte: há uma busca desenfreada pela competência em IA.

A IA traz emoção e empatia às "máquinas"

Por Eduardo Prado*

Imagine se as tecnologias – assistentes virtuais (tipo Alexa da Amazon), veículos autônomos, aparelhos de televisão, frigoríficos conectados, telefones celulares – estivessem cientes das suas emoções? E se elas percebessem o seu comportamento não-verbal em tempo real?


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site