INTERNET

Austrália proíbe servidor público de ‘curtir’ ou comentar contra o governo nas redes sociais

Convergência Digital ... 09/08/2017 ... Convergência Digital

O governo da Austrália lançou um guia para a relação dos servidores públicos com as redes sociais. Como sustenta a Public Service Comission, algo equivalente ao que seriam funções do Ministério do Planejamento, no Brasil, as responsabilidade limitam a participação do funcionalismo nos debates públicos.

O guia defende “julgamento cuidadoso” antes de postagens na rede e argumenta que “a velocidade e o alcance das comunicações online significam que o material postado é imediatamente disponível a uma ampla audiência. Pode ser difícil apagar e pode ser replicado infinitamente. Pode ser enviado, ou visto, por pessoas que o autor jamais pretendeu alcançar”. 

“As novas diretrizes alertam que os servidores públicos estarão sob alcance do código de conduta se ‘curtirem’ de postagens antigoverno, enviarem e-mails privados com material negativo ou não removerem ‘comentários sórdidos’ postado por outros sobre o governo. As novas políticas se aplicam mesmo aos empregados que usam redes sociais em caráter privado e fora do horário de trabalho”, diz a Comissão.  

No Brasil, o Ministério do Planejamento tem um Código de Conduta Ética (PDF) que vale para os funcionários da pasta e que tem um artigo específico (26o) para redes sociais: “Sem prejuízo do pensamento crítico e da liberdade de expressão, o agente público não deve, de forma deliberada, realizar ou provocar exposições nas redes sociais e em mídias alternativas que causem prejuízos à imagem institucional do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e de seus agentes públicos.”


Black Friday dá gás às vendas, mas fica longe do desempenho de 2016

Segundo levantamento da Ebit, vendas online cresceram 10,3%, contra alta de 17% em 2016. Nas lojas físicas, alta foi de 4,9%, conforme a Serasa, enquanto chegou a 11% no ano passado. 

Em Goiás, homem é condenado à prisão por compartilhar fotos no You Tube e no WhatsApp

Pena, no entanto, foi revertida para a prestaçaõ de serviços à comunidade. Homem divulgou fotos da ex-namorada em listas nas redes sociais por vingança.

'Vingança pornográfica" vai dar cadeia de dois a quatro anos

Avançou na CCJ do Senado o PL 18/2017, que adota punição mais rigorosa para o registro ou divulgação, não autorizada, de cenas de intimidade sexual de uma pessoal. PL seguiu em regime de urgência para o Plenário do Senado.

Consumidores ignoram termos de privacidade de dados no Brasil

E o consentimento tem sido a base legal para o processamento das informações, observou o sócio sênior da Accenture, José Moscati.

FCC apresenta proposta que acaba com neutralidade de rede nos EUA

O presidente da agência reguladora americana, Ajit Pai, disse que “sob a minha proposta, o governo federal vai parar de microgerenciar a internet”. 

Revista Abranet 22 . set/nov 2017
Veja a Revista Abranet nº 22 Reforma trabalhista: impactos para os ISPs. Conheça o novo cenário e saiba o que muda para as empresas de Internet. E mais: Os robôs chegaram pra valer; A incerteza dos 450 MHz; TIC Educação: o papel dos provedores.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G