GOVERNO » Política Industrial

Lei de Informática: Governo diz que uma legislação de 25 anos não se muda em 90 dias

Luís Osvaldo Grossmann ... 11/08/2017 ... Convergência Digital

Antes mesmo do recurso que o Brasil vai apresentar à Organização Mundial do Comércio no contencioso sobre a política industrial, os ministérios já mapearam ajustes a serem feitos a partir da decisão final – que não se espera reverter a derrota na ação movida por Europa e Japão. Pelo menos no que a decisão se refere à Lei de Informática, a ideia é preservar o legado desse instrumento. 

“A gente fez uma análise de quais os pontos elencados da OMC e dependendo da decisão final, para cada decisão já temos qual ação imediata temos que tomar dentro do governo para manter o legado da Lei de Informática, que é responsável por grande quantidade de recursos em pesquisa e na fabricação de produtos de tecnologia no Brasil. A gente tem que perpetuar esse legado”, afirma o secretário de Políticas de Informática do MCTIC, Maximiliano Martinhão. 

Em dezembro de 2016 saiu a primeira decisão do painel da OMC sobre os contenciosos abertos pela União Europeia e pelo Japão contra instrumentos da política industrial brasileira. Além da Lei de Informática são questionados instrumentos para o setor automotivo, semicondutores e TV Digital. 

Sustenta Martinhão que “existem maneiras de, dependendo da decisão, a gente se tornar aderente à OMC”. Segundo ele, crucial será o prazo de implementação. “Um ponto ainda em discussão que é fundamental é o prazo de implementação da decisão final, se vai ser 18 meses ou 90 dias. É uma questão fundamental. Porque mudar uma lei que vigorou por 25 anos em 90 dias não dá para ser assim.”


Órgãos públicos do Executivo estão proibidos de exigir CPF e CNPJ

Medida impõe o compartilhamento de dados sem nenhuma regra de cuidado com as informações. Portaria proíbe a exigência ainda de certidões de débitos tributários e dívida ativa e certidão de quitação eleitoral.

Serpro repudia acusação de venda de dados pessoais

Estatal diz nunca ter repassado conteúdo ao site 'Consulta Pública', 'congelado' por uma ação do MPF do Distrito Federal. Sustenta ainda que não vende 'secretamente' dados de pessoas naturais ou jurídicas.

Apps de e-gov não pedem consentimento e coletam mais dados do que precisam

Segundo estudo do InternetLab com aplicativos federais e de São Paulo, nenhum dos aplicativos pede consentimento expresso e metade não possui qualquer política de privacidade.

Anac autoriza Secretaria de Patrimônio da União usar drones para fiscalização

Licitação para a compra de equipamentos pelo governo deverá acontecer a partir do final de maio. Drones vão ser usados para fiscalizar uso irregular de áreas de praia, margens de rios, terrenos de marinha e espelhos d'água, dentre outros bens públicos de propriedade da União.

CDES quer prioridade para proteção de dados e transformação digital

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) recomendou ao governo que garanta dotação orçamentária adequada e mecanismos de acompanhamento da digitalização do setor público.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G