Convergência Digital

Orquestrador da nuvem é o cérebro das novas aplicações

Ana Paula Lobo e Rafael Benega - 11/10/2017

O ecossistema de computação em nuvem já pode ser classificado como maduro, mas hoje o desafio para os fornecedores é criar uma solução que se diferencie das demais, observa Paulo Bernardocki, que está de volta ao Brasil depois de atuar por dois anos como CTO Global da Ericsson.

Um elemento, aponta Bernardocki, em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, ganha espaço para fazer muita inovação: o orquestrador. Segundo ele, até o momento nem os organismos de padronização, tampouco os de open source dedicaram muito esforço para o orquestrador.

"É um elemento-chave na construção de qualquer serviço. Na verdade, ele é o cérebro neste novo contexto de serviços digitais". E para o futuro, ele define: cloud vai fornecer as ferramentas para as teles competirem com as OTTs.  Assistam a entrevista com o executivo, concedida na CDTV, do portal Convergência Digital.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis
Para Anatel, regulação não resolve a crise do setor

“O retorno está menor, mas a solução principal não é regulatória, é de mercado" afirma o conselheiro Leonardo de Morais. Presidente da Claro, José Félix, diz que o mercado vive um imenso jogo de 'rouba monte'.

Orquestrador da nuvem é o cérebro das novas aplicações

"É no orquestrador que há um espaço enorme para a Inovação", atesta Paulo Berarndocki, que durante dois anos atuou como CTO global da Ericsson e está de volta ao Brasil.

Com IoT da Embratel, Volvo tem 100% de recuperação de carros roubados

Conexão de objetos é uma prioridade no plano estratégico da operadora, revela o diretor de IoT e M2M, Eduardo Polidoro.


Futurecom 2017 - clique aqui e confira a cobertura completa.
Editora Convergência Digital
Copyright © 2005-2017 Editora Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site