TELECOM

GSMA: Só a Jamaica cobra mais imposto de telecom que o Brasil na América Latina

Luís Osvaldo Grossmann ... 01/11/2017 ... Convergência Digital

A associação GSMA, que representa operadoras móveis, divulgou um estudo sobre a tributação dos serviços de telecomunicações na América Latina. Mais uma confirmação do que surpresa, o Brasil é destaque em várias frentes, seja pelas altas taxas sobre consumo, pelos tributos específicos ao setor, pelas cobranças municipais, pelo não uso de fundos de universalização, ou ainda por ser o único na região a cobrar duas vezes pela ativação de chips. 

“O estudo mostra como a tributação do setor móvel pode aumentar a barreira de acesso na região, prejudicando os esforços de inclusão digital. Para todos os países da região em que os dados estão disponíveis, o custo total da propriedade móvel para a compra de um aparelho móvel e 1GB de dados por mês está acima do limite de cinco por cento recomendado pela Comissão de Banda Larga da ONU”, diz o documento da GSMA. 

O Fistel brasileiro é alvo de uma seção específica do relatório da GSMA. Além de associar o uso de dispositivos de comunicação máquina a máquina com a flutuação da taxa, a associação das operadoras sustenta que a principal medida a ser tomada pelo Brasil é a abolição do Fistel. 

Segundo a GSMA, tal medida teria impacto já em 2020, com o aumento em 12,5 milhões no número de conexões M2M, quase R$ 30 bilhões no PIB, e R$ 10 bi em tributos, além de um acrescimento superior a R$ 5 bilhões nos investimentos do setor. 

No quadro geral, a Jamaica é a recordista na região, com a carga fiscal de telecom em cerca de 56% das receitas. O Brasil vem logo em seguida, onde a mordida fiscal rodeia os 45%. Argentina, República Dominicana, Chile e Equador ficam na casa dos 30%. Os demais abaixo de 20%. Na média, o setor móvel da América Latina pagou o equivalente a 25% do seu faturamento em 2016 na forma de impostos. 

O relatório destaca que impostos de consumo (no nosso caso, ICMS) são quase 20% do que chama de ‘custo total da propriedade no setor móvel’, o dobro da América do Norte. Destaque mais uma vez para o Brasil, acompanhado da República Dominicana, em que esse ‘custo total de propriedade’ supera os 30%. 

Segue o documento e o Brasil também lidera, à frente da República Dominicana, Argentina e Jamaica, com as maiores taxas sobre uso, em percentuais significativamente superiores aos da média latina. “Isso se deve especialmente à aplicação de taxas específicas para o setor nesses países”, diz a GSMA. 

Nessa seara o Brasil é especial. Está no seleto grupo, ao lado de Argentina, México e Venezuela, que cobram pelo espectro no momento dos leilões e também a partir de taxas recorrentes sobre a radiofrequência. Além disso, o Brasil é o único a cobrar duas vezes pela ativação de chips, na primeira instalacao e no Fistel anual. 


Internet Móvel 3G 4G
Android faz Google receber multa recorde de R$ 20 bilhões da União Europeia

Empresa norte-americana foi acusada de abuso de posição dominante e tem 90 dias para mudar as suas práticas. É a maior sanção já aplicada na Europa a uma companhia de Tecnologia. Google recorrerá da decisão.

Anatel aprova novo regulamento para preço público de radiofrequências

Principal novidade é a possibilidade de a agência exigir compromissos de investimento como parte do valor da renovação do direito de uso do espectro.

Segurança faz Anatel antecipar bloqueio de celulares no Rio de Janeiro

Os aparelhos irregulares vão ser bloqueados a partir de 08 de dezembro, a pedido do Gabinete de Intervenção Federal no Estado. O bloqueio está implementado no Distrito Federal e no Estado de Goiás.

Disputa entre fornecedores faz Cemig Telecom adiar leilão para o dia 8 de agosto

Preço mínimo para o lote 1, que envolve a rede de banda larga nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro foi estipulado em R$ 332 milhões.  Já manifestaram interesse público, a TIM e a Claro.

TV paga: Modelo não muda e sangria de assinantes já dura três anos e meio

Depois de um período de expansão, em 2014, com a entrada das teles no segmento, o setor encerrou o mês de maio com 17,8 milhões de assinantes, o que significa a perda de 10% da base de usuários. Claro/NET concentram 50% do mercado.

Anatel rejeita pedidos de Société e Pharol para mudanças no conselho da Oi

Seguem válidos, portanto, os nomes indicados a partir da aprovação do Plano de Recuperação Judicial, em dezembro, que constituem o Conselho de Administração Transitório da supertele.

Telefónica conduz projeto de transformação digital da Avianca

O acerto terá validade de cinco anos e inclui serviços de voz tradicional, conectividade de dados, apoio de infraestrutura (LAN/WLAN/Centro de cabos), segurança digital e soluções de redes definidas por software (SDN).


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G