TELECOM

Novo diretor da Anatel diz que internet traz competição ao mercado de telecom

Luís Osvaldo Grossmann* ... 07/11/2017 ... Convergência Digital

O advogado Emmanoel Campelo Pereira foi aprovado por 18 votos a favor, e um contra, depois de sabatina na Comissão de Infraestrutura do Senado nesta terça, 7/11. Com pedido de urgência, ele foi confirmado pelo Plenário, por 48 votos a favor e 10 contrários, ainda nesta mesma terça como novo diretor da Anatel, na vaga deixada por Igor de Freitas. 

Durante a amigável sabatina, Campelo falou sobre Oi (leia aqui) e defendeu mudanças no marco regulatório das telecomunicações, na forma do PLC 79/16 e na transformação das concessões em autorizações, bem como o efetivo uso de fundos setoriais, notadamente o Fust. Mas ao se dizer favorável à “regulamentação mínima”, apontou ser contra regular as empresas de internet. Para ele, elas trazem competição ao mercado. 

“Sou favorável à regulamentação mínima. No momento que temos essa mudança de comportamento do usuário, teremos uma mudança natural no mercado. Não vai haver prejuízo, vai haver mais competição. E o grande beneficiário é o cidadão. Não vejo o surgimento desses aplicativos como um problema, mas como algo que venha agregar mais opções ao consumidor e fomentar desenvolvimento das próprias empresas. A adaptação do mercado é natural”, afirmou. 

Ele lembrou que ajustes já estão acontecendo. “O serviço de TV a cabo reclama de aplicativos que fornecem séries e filmes, mas sempre precisaremos de banda larga para acesso a esses serviços. E na medida que aplicativos passaram a ter mais relevância, algumas empresas de TV a cabo têm ofertado a possibilidade do usuário assistir filmes e séries a qualquer momento, semelhante aos aplicativos.”

Mais importante para o mercado de telecom, sustentou Campelo, é a atualização da Lei Geral de Telecomunicações. “A gente precisa pensar na mudança do regime de concessão para autorização. Acho que o regime de autorizações bem conduzido tem condições de fomentar concorrência e promover a interiorização. A prioridade da Anatel tem que ser a interiorização, a universalização dos serviços. As regiões menos favorecidas têm que ser olhadas com maior atenção.”

Campelo defendeu a política de ‘filé com osso’ que a agência adota nos leiloes de frequência, com obrigações em áreas menos rentáveis para quem comprar espectro nas mais mas insistiu que a universalização exige o uso dos fundos setoriais, notadamente o Fust. “A própria não utilização dos recursos do Fust já é uma forte evidência da necessidade de atualizar o marco regulatório”, afirmou. 

Paralelamente, lembrou que a desejada universalização e interiorização depende dos custos dos serviços. “O setor arrecada demais e recebe de menos. O problema hoje em relação aos preços é sem dúvida a carga tributária. Os preços estão entre os maiores do mundo, mas sem a carga tributária são equivalentes aos países desenvolvidos. Temos que discutir até que ponto interessa uma carga de 41% sobre o setor de telecomunicações.”

* Atualizada às 18h40 para inclusão do resultado no Plenário do Senado Federal.


Internet Móvel 3G 4G
Android faz Google receber multa recorde de R$ 20 bilhões da União Europeia

Empresa norte-americana foi acusada de abuso de posição dominante e tem 90 dias para mudar as suas práticas. É a maior sanção já aplicada na Europa a uma companhia de Tecnologia. Google recorrerá da decisão.

Anatel aprova novo regulamento para preço público de radiofrequências

Principal novidade é a possibilidade de a agência exigir compromissos de investimento como parte do valor da renovação do direito de uso do espectro.

Segurança faz Anatel antecipar bloqueio de celulares no Rio de Janeiro

Os aparelhos irregulares vão ser bloqueados a partir de 08 de dezembro, a pedido do Gabinete de Intervenção Federal no Estado. O bloqueio está implementado no Distrito Federal e no Estado de Goiás.

Disputa entre fornecedores faz Cemig Telecom adiar leilão para o dia 8 de agosto

Preço mínimo para o lote 1, que envolve a rede de banda larga nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro foi estipulado em R$ 332 milhões.  Já manifestaram interesse público, a TIM e a Claro.

TV paga: Modelo não muda e sangria de assinantes já dura três anos e meio

Depois de um período de expansão, em 2014, com a entrada das teles no segmento, o setor encerrou o mês de maio com 17,8 milhões de assinantes, o que significa a perda de 10% da base de usuários. Claro/NET concentram 50% do mercado.

Anatel rejeita pedidos de Société e Pharol para mudanças no conselho da Oi

Seguem válidos, portanto, os nomes indicados a partir da aprovação do Plano de Recuperação Judicial, em dezembro, que constituem o Conselho de Administração Transitório da supertele.

Telefónica conduz projeto de transformação digital da Avianca

O acerto terá validade de cinco anos e inclui serviços de voz tradicional, conectividade de dados, apoio de infraestrutura (LAN/WLAN/Centro de cabos), segurança digital e soluções de redes definidas por software (SDN).


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G