TELECOM

Operadoras competitivas investem R$ 6 bilhões no Brasil

Por Fábio Barros ... 07/11/2017 ... Convergência Digital

As operadoras competitivas – que são aquelas de porte menor, que operam em regiões específicas, têm modelos de negócio pré-definidos e ofertas diferenciadas, dentro de seus modelos de negócio, atendem clientes finais, ISPs, grandes operadoras, pequenas e médias empresas e clientes residenciais – investiramR$ 6 bilhões no país, revela a pesquisa “O perfil das operadoras competitivas” durante a décima edição do Seminário Telcomp. O evento foi realizado nesta terça-feira, 07, em São Paulo, e teve como tema principal a transformação digital e o setor de telecomunicações.

O CEO da Megatelecom, Carlos Sedeh, detalhou o perfil do segmento. Segundo ele, as operadoras competitivas crescem consistentemente nos últimos cinco anos.  Por conta disso, elas podem ser encontradas hoje em 98,5% dos municípios brasileiros; 6,8 mil delas têm autorização de SCM (Serviço de Comunicação Multimídia) e formam um conjunto de empresas que responde hoje por 18% da receita líquida do SCM. “Boa parte do crescimento destas empresas se deu por causa da situação Oi, cuja área de concessão cobre 97% do território nacional e, por isso, conta com inúmeras áreas de menor interesse”, diz.

O presidente da Teleco, Eduardo Tude, observou que que a cadeia de valor de telecomunicações é hoje formada por quatro elementos, e que as operadoras competitivas podem ser encontradas em todos eles. “A cadeia de valor começa com as conexões internacionais e segue por transporte e redes metropolitanas; serviços para empresas e governo; e serviços para clientes residenciais e pequenas e médias empresas.

No primeiro elo – o de conexão internacional – a entrada das operadoras competitivas vai permitir que a capacidade de dados dos cabos submarinos que chegam ao Brasil hoje praticamente quadruplique. “Até o ano passado, tínhamos uma capacidade de 78 TB. Com a chegada de novos entrantes, como Monet, Algar, Google e outros, esta capacidade em breve deve chegar a 274 TB”, diz, lembrando que as operadoras competitivas respondem hoje por 12% dos cabos submarinos, devendo chegar a 50% com os novos cabos.

Na elo formado por empresas de transporte e redes metropolitanas, as operadoras competitivas movimentaram R$ 1,2 bilhão em 2016. “São basicamente empresas que atuam no mercado de atacado, vendendo capacidade para outras operadoras”, explica Tude. O executivo da Teleco lembra que, aqui, há uma gama grande de empresas com atuação nacional e regional, todas participando do mercado de atacado. “Juntas, estas companhias têm cerca de 250 mil km de redes ópticas de transporte”, revela, lembrando que o crescimento aqui vem da construção compartilhada e compra de uso de outras redes.

A área de serviços para empresas e governo também conta com operadoras de abrangência nacional e regional. Estas empresas oferecem acesso a internet e serviços gerenciados, atendendo clientes corporativos. Já no atendimento a clientes residenciais e pequenas e médias empresas, são encontradas operadoras competitivas provendo serviços de TV a cabo, 4G, satélite, e outros. Assistam a apresentação do presidente do Teleco, Eduardo Tude, sobre a pesquisa feita no mercado das operadoras competitivas.


Internet Móvel 3G 4G
TIM e Claro vão vender meio de pagamento da Cielo

Operadoras vão ser canal da empresa de pagamento. Uma das novidades da solução é o uso do QR Code Pay, que consiste na geração de um QR Code na tela da máquina de POS para que seja lido pela câmera do smartphone do consumidor.

Revista do 62º Painel Telebrasil 2018
Veja a revista do 62º Painel Telebrasil 2018 Brasil Digital: O futuro é agora - é o tema da revista do Painel Telebrasil 2018.
Edição, com 104 páginas, consolida os debates realizados no evento, que reuniu a indústria de Telecomunicações.
Clique aqui para ver outras edições

Bloqueio de celular pirata será estendido a mais 10 estados

A partir de domingo, 23/9, quem tiver aparelho sem IMEI válido vai começar a receber mensagens de que o celular será bloqueado a partir de dezembro. Ativo em Goiás e no Distrito Federal desde fevereiro, sistema bloqueou cerca de 41 mil aparelhos.

TV paga: pirataria tem mais 'assinantes' que a Netflix no Brasil

Consultoria Business Bureau diz que a OTT possui 18% do mercado de assinatura de streaming de vídeo. A Globo Play fica na segunda posição, mas com apenas 4%. Pirataria no Brasil fica bem acima da média da América Latina.

Justiça mantém Pharol e Nelson Tanure fora da Oi até aporte de capital

Juiz Fernando Viana, da 7ªVara Empresarial do Rio de Janeiro, manteve a suspensão dos direitos políticos dos conselheiros e diretores da Oi ligados aos grupos.

GSMA: Parceria em conteúdo é melhor para teles que produção própria

Apesar de iniciativas em investir nesse campo, estudo da associação destaca que licenciamento de conteúdo é caminho mais realista para teles.



Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G